Listas de Debates - Participe

    starbrothers

    forum_ufulogia

    ufobras

    forum_exobiologia

    forum_intaterrestres

     

     

INCIDENTE EM VARGINHA

O presente trabalho é uma iniciativa da Socex-Sociedade Excelsa, cujo crédito deverá ser citado em eventuais publicações na mídia escrita, falada e televisada, assim como sites de Internet.

 

O QUE ACONTECEU EM VARGINHA?

 

 

No início do ano de 1996, a cidade mineira de Varginha foi palco de ocorrências extraordinárias, onde os Ufólogos envolvidos descobriram apenas parte dos fatos. Talvez uns 30% somente. O que os Ufólogos descobriram está amplamente divulgado pela Internet, sendo que o texto mais detalhado se encontra em:
Com certeza, os militares capturaram duas estranhas criaturas, cuja procedência não temos como definir com certeza, podendo envolver seres extraterrestres, experiências genéticas de algum laboratório ou aberrações da própria Natureza. Nada, absolutamente nada a ver com o mito chupa-cabras.
Claudeir Covo

Não acho que sejam et’s e sim it’s, buscando saídas e talvez tenham se perdido… ou errado em suas coordenadas… ou algum aparelho de suas (avançadas?) tecnologias pifou… Uma raça humanóide intra em evolução para a superfície. Assim, tipo nossa história oficial de homem das cavernas, peludinhos e óinhus vermeinhus, buscando descobrir o fogo da superfície, buscando alimento, verificando (com surpresa!) – que aqui em cima precisa ter um corpo mais refinado, ou bem uniformizado, para poder ser tido como inteligente e chegar ao ponto de ter tecnologias, carros, etc. Enfim, aprendendo o que fazer com a evolução para a raça bicho homem. Selene Shantar

Se os pesquisadores que estiveram à frente do caso (Bira, Pacaccini, Claudeir, Petit… quem mais ?) não sabem e não têm uma definição, creio que muito menos nós poderemos faze-lo sem que cometamos uma incongruidade. Roberto Afonso Beck

Bem, responder a esta pergunta de forma conclusiva é impossível, tendo em vista que nem mesmo os próprios pesquisadores do caso se atreveriam a isso. Daqui do frio congelante de Porto Alegre, posso dizer o que me parece, tendo como base o que li a respeito.
Primeiramente, quero deixar claro que acredito que algo tenha acontecido em Varginha. Não se pode criar uma história destas, com tantos fatos e testemunhas, sem que algo estranho tenha ocorrido. A questão que se impõe, e que você inteligentemente propôs, é o que aconteceu?
Analisando os fatos e testemunhos dados à priori, quando o caso ainda não tinha tomado as proporções que acabou por tomar posteriormente, sou levado a acreditar que aquelas mulheres viram algo que realmente as assustou. Acredito ainda, que houve naquela região um movimento incomum de militares, tendo em vista os inúmeros testemunhos a esse respeito. Daí em diante, podemos ligar os dois fatos e dizer que há fortes indícios de que uma coisa estivesse ligada à outra. Estes fatos e testemunhos, devem ser tidos com consideração superior por não estarem eles contaminados com a relevância dada pela mídia ao fato, o que sempre abre as portas para pessoas que querem aparecer, outras que têm uma capacidade imaginativa maior, etc… Mas na minha opinião a maior ameaça à credibilidade dos relatos posteriores, é o interesse crescente da administração municipal neste caso, transformando-o no carro-chefe de todas as iniciativas para atrair turistas para o município. Quem garante que alguns ou todos os relatos que vieram a seguir, não tenham sido feitos para darem um vulto ainda maior ao caso? Não me parece que isso seria necessário, mas quando se trata de interesses políticos e econômicos, nada me surpreende.
Um dos grandes desafios da ufologia atualmente, é não deixar-se contaminar pelos interesses das administrações locais, em usá-la economicamente, pois isso contaminaria de forma irreparável, o estudo imparcial e ético do fenômeno UFO.
Quanto à origem dos seres, tanto poderiam ser EBEs, assim como mutações naturais ou desenvolvidas em laboratórios. A hipótese de mutação natural me parece ser a menos provável, pois não faria sentido tal mobilização do governo e Exército, em acobertar tal fato, se esta fosse a explicação. A hipótese de mutação realizada em laboratório me parece possível, embora o desenvolvimento de tal ser, com propriedades tóxicas, a ponto de serem letais em seu organismo inclusive, me parece um tanto quanto difícil de se acreditar. Portanto, a hipótese de que fossem EBEs me parece ainda, a mais plausível.
Por último, parabéns pela iniciativa em realizar tal enquete, pois este caso em particular deve ser exaustivamente debatido e analisado, pois é o mais importante já relatado em nosso país, e talvez no mundo. Marcelo Simas Pereira

Eu tive a oportunidade de ver em vídeo o depoimento dos militares que estiveram envolvidos no Caso Varginha.E um deles foi claro quando declarou que seu “superior” da ESA confirmou para ele que aquela criatura era extraterrestre. Gostaria que os outros amigos que também viram esses depoimentos que se manifestassem, pois na minha opinião se os responsáveis pela captura desses seres deram essa terminologia ao ser, não será nós que iremos discordar! Agora entendo que o Ubirajara não declara isso publicamente sobre as criaturas porque não tem como comprovar que elas realmente eram ets, mas pelo que já pude conversar com ele, acredito que ele também compartilha dessa opinião de que os seres de Varginha não eram daqui. Sem sombra de duvida o que ocorreu lá foi a captura de entidades biologicas extraterrestres. Wallacy Albino

Wallacy, acho que, de todas, essa é a melhor conclusão sobre como chamar as criaturas. Também assisti a esse vídeo (ou a outro similar), e se o próprio chefão da ESA admitiu que os seres eram extraterrestres, certamente por já ter informações privilegiadas sobre eles, podemos naturalmente acatar o formato.

Duas considerações:

1. Toda a movimentação de 13 a 20 de janeiro, em Varginha, foi acompanhada pela elite de nossas Forças Armadas e, sabemos ao certo, com apoio logístico dos EUA (leia-se NORAD). O objeto que foi visto quase acidentando-se por Eurico e Oralina foi acompanhado por satélites e outros dispositivos. Sendo assim, e estando qualificada a participação de altas autoridades no processo, ter um chefão da ESA chamando as criaturas de extraterrestres, essa é uma informação que pode e deve ser seguida, assim como o formato pode e deve ser empregado.

2. Foram propostos nas listas outros termos, entre eles “humanóides”, “criaturas” e “entidades”. As três coisas são muito próximas e caracterizam o que foi visto em Varginha de maneira muito genérica e vazia. A sugestão do Paulo Poian foi a mais aplicável: “Entidade Biológica Indefinida”, mas ainda assim deixou a desejar. Acho mesmo, portanto, que devemos seguir a cartilha do chefão da ESA e chamar logo aquilo de extraterrestre, precedido de “criatura”, “ser” ou “entidade”. Ademais de tudo isso, aquilo não era mesmo da Terra. Daí, nada mais apropriado que extraterrestre.Ademar José Gevaerd

Vi os depoimentos também e confirmo que um deles foi claro em dizer que alguém do comando, que não cito por razões óbvias (já que esse material ainda é mantido em sigilo), falou claramente que eram extraterrestres. Reinaldo Stabolito

Li o livro “O Caso Varginha” e confesso que diante do relatado – me parecendo mais um tratado jornalístico – creio, pelas evidências expostas, sem nenhuma dúvida, os seres em questão procederam de uma nave acidentada.
Não posso ter outra opinião. Severino da Silva Melo

Pra te falar a verdade não sei…onde estão os ets? E as pessoas que viram o que dizem? Tentei me informar várias vezes mas ninguém daí fala nada!!!!! Adriana de Oliveira

Eu estive há dois anos s em Varginha conversando com o Bira.
Junto comigo estavam, o Márcio Teixeira que hoje mora em Portugal ) e o João Marcelo, membro do meu Grupo (GEUB) e que reside em São João Del Rei, MG.
O João Marcelo participou de todo o caso Varginha, na época, inclusive nas reuniões.
Tudo que eu sei foi através de leituras (livros, revistas, etc…) e de uma “boa” conversa com o Bira e com o João Marcelo.
Olha, juntando tudo isso, chego a conclusão que o “caso” realmente aconteceu e que as “criaturas” são da forma como foi feita no retrato falado, ou seja, através das declarações das testemunhas (declarações feitas em separado e que coincidiram depois).
Porque as meninas iriam inventar uma criatura daquela forma?
Não conheço nenhuma criatura igual aquela aqui na Terra, portanto… José Ricardo Dutra

Pelas próprias declarações de um oficial do Exército que declarou que estava defendendo o futuro de nosso país, ele deve ter capturado um ser de outro planeta ou de outra dimensão. É óbvio. Ou algum ser que o dito coronel imaginou ser um ET. Eu o assisti na TV Campinas. Ciro Matuck

Varias interrogações permanecem em minha mente… respondo como leiga, e completa ignorante. Porem, me sinto atraída em “tentar” estudar para poder compreender esse assunto fascinante. Eu acredito que o ser encontrado em Varginha, não seja “extra”… e sim “intra” (terreno ou terrestre?).
E continuo perguntando… Onde se encontra (hoje) o corpo?
Por que não tocaram mais no assunto?
O que as autoridades temem, verdadeiramente?
Será mais cômodo, manter a população em situação de ignorantes aterrorizados… ou será que não estamos mesmo preparados para aceitar, ter conhecimento e etc… de seres “diferentes” de nós?
Por que será… que para nós, seres humanos, é aceitável conviver, estudar e compreender a fisiologia de outros seres.. por exemplo: outros animais, mamíferos, anfíbios…e etc… enfim..
Mas…em se tratando de um possível ser habitante de outro plano, planeta, dimensão ou seja lá o nome mais adequado a situações como a de Varginha, os estudos se tornam “abafados”, e o que sobra é um “gosto” de especulação…matéria para televisão.. e principalmente o quão perigosos eles possam ser..mantendo assim o terror sobre as pessoas?
Será que eles também não sentem medo da gente?
Será que como nós… eles também não estão “estudando” os “nossos seres”… e pesquisando e tal?
E continuo perguntando:
Se sabemos pouco (falando por mim) sobre esses seres… o que será que eles sabem a nosso respeito?
Qual impressão que sentem sobre nós?
Será que o “tratamento” recebido é o mesmo dispensado (entre eles e nós.. e em situações contrárias?).
Quando se fala em sentimentos (hostis e tudo o mais) … qual será a noção de sentimentos para eles?
E como será que eles encaram, recebem ou entendem as nossas atitudes e sentimentos?
Por isso, em minha opinião esse é um assunto tão fascinante… por ser tão complexo.
Se escrevi bobagens… me desculpe, por favor..rs. Khemia

Para ser absolutamente verdadeiro teria que responder: Não sei, pois não presenciei o fato. Mas como vocês bem sabem, já tive um contato muito próximo com um disco (acima do carro) a vários anos atrás, e também sei com nosso governo tem vergonhosamente se submetido às orientações e ditames dos americanos em troca de dinheiro. É uma vergonha total ! Por outro lado conheço algumas pessoas de Varginha, pois já tive uma noiva de lá. Assim sendo, acredito que o que se passou foi:
– Discos periodicamente aterrissam em Minas, especialmente na região de Varginha. Porque lá tem: água, energia elétrica, e amplos espaços desolados e seguros para pousar.
– Naquela ocasião, alguns ocupantes do disco podem:
1) ter se desencontrado de seu pessoal quando voltavam à nave por alguma razão premente;
2) podem ter sido deliberadamente abandonados; ou
3) podem ter sido encontrados enquanto faziam alguma missão especial – já fizeram várias na região.
– A equipe de bombeiros e militares que os encontrou reportou o caso às autoridades erradas – e o caso veio a ser conhecido pela agencia americana NSA, antes que nossa imprensa e nossos militares de vanguarda pudessem ter acesso aos mesmos.
– Recebendo ordens de não se aproximar e vigiar o local onde eles estavam guardados, nossos militares obedeceram, algo impossível de acontecer num país europeu.
– Os agentes americanos chegaram dias após, fizeram a limpeza do local de modo a não deixar traços, prometeram algo sem valor para nossos militares idiotas, e “raptaram” mais uma prova incontestável a ser exibida para o mundo.
– Nossos militares não primam pela coragem e sinceridade, e assim não reportaram NADA à nossa imprensa, e ao povo, que merece saber a verdade.
Tão simples quanto isso. Luiz C. V. Cruz – Ex-carioca, escrevendo de Denver, EUA

 

Bom, aqui vai o meu ponto de vista sobre o caso…

1º) Já sabemos e não temos mais dúvidas que o que foi capturado lá em Varginha foi mesmo um ser vivo. Do mesmo modo, sabemos que, as características físicas observadas no ser pouco ou nada se comparam aos seres vivos existentes em nosso planeta, salvo algumas exceções, como a cor dos olhos (que eram vermelhos).

2º) Sabemos também, conforme depoimento das testemunhas oculares, que o ser vivo aparentemente exalava um forte odor de amoníaco. Da mesma forma, não sabemos ao certo quantos tipos de criaturas vivas conhecidas e já classificadas em nosso mundo que obedecem a este requisito, mas, por outro lado, sabemos de antemão que, havendo, não pertenceriam àquele habitat, ou seja, não é endêmica da região, devendo portanto ter chegado lá com auxílio externo e não identificado.
Agora vamos ser realistas…
A menos que não ocorra alguma outra revelação muito fantástica e comprovável, fatalmente nós nunca saberemos a verdade. Então, o que podemos fazer hoje, é partir para a análise comparativa, isto é, coletar as informações acerca dos aspectos físicos do ser vivo encontrado e identificar seus padrões (ainda que precariamente). Feito isso, o passo seguinte seria associar estas características ao conhecimento atual sobre biologia, botânica, ótica, exobiologia, etc…por exemplo..
Por qual razão uma criatura teria olhos grandes? Talvez para compensar algum déficit de alguma outra capacidade. Talvez os olhos vermelhos sejam adaptados à captação de alguma outra fonte de luz, diferente da emanada de nosso sol, e que ocupa outra faixa do espectro, que para nós é invisível. Se identificado que os olhos são adaptados para a captação de uma fonte de luz que não é a de nosso sol, então certamente o ser vivo seria proveniente de outro sistema…
O que levaria a criatura a emanar cheiro de amoníaco? Talvez a composição da nossa atmosfera seja venenosa demais para o ser, o que teria causado alguma degradação dos órgãos vitais e dos tecidos, fazendo a criatura se decompor aos poucos, assim como aconteceria conosco se desembarcássemos em Titã. Sendo assim, para que a criatura emane esse tipo de componente, é provável que ela seja proveniente de algum local onde esse mesmo componente seja abundante. Assim como nós, que somos compostos por 95% de água…
Acho que é por aí….comparando e eliminando possibilidades….
Será que eu viajei ? Roberto Carlos Pintucci

Respeitosamente, entrando na discussão sobre se devemos ou não denominarmos de ‘criatura’ ou ‘extraterrestre’ para aquilo ” que foi capturado” em Varginha, gostaria de acrescentar para maior amplitude de entendimento, o seguinte: O termo ‘criatura’ para o Aurélio, tem o significado de ‘coisa criada’, ‘ser criado’, e ‘cria’, podendo também significar ‘individuo’ ou ‘pessoa’.
Daí, a situação pode até se complicar, porque, se se trata de ser(entidade) ou coisa criada, – incontinenti se fará a seguinte pergunta: Quem o criou ?, quem o constituiu ?
E podemos adotar o significado ‘indivíduo’ ou pessoa’ ? – Nem pensar !
Entretanto o também consagrado Dicionário Eletrônico Houaiss, define a palavra criatura como “seres o coisas materialmente existentes”, assim como também “ser vivo com características horrendas,monstro”. E aí sim, o significado da palavra realmente se encaixa perfeitamente.
Portanto, a terminologia mais adequada, realmente, vem a ser ‘criatura’ para – como disse o Eustáquio – “para o que foi capturado em Varginha”.
Outro foco da discussão é se a origem da criatura seria extra-terrestre ?
Por primeiro, se não for extra-terrestre, será indubitavelmente ‘terrestre’ , portanto uma criatura intra-terrestre ou cavernosa, Daí, termos que admitir as teorias dos mundos e das civilizações subterrâneos e suas conseqüências.
Ou quem sabe um ser dimensional (Ultra) ??
Em minha simples opinião, dou preferência a de que a origem da criatura seja extra-terrestre, fica até mais simples seu entendimento, afinal, nós ufólogos, defendemos há muito tempo a questão – que é ontológica para nós – de que há outros mundos habitados com civilizações inteligentes – em vários níveis- neste nosso Universo incomensurável !
Há uma aparente incongruência nas criaturas de Varginha. Se forem extraterrestres, como chegaram até nós ? Não devemos nos esquecer que há aquela ‘lenda’ de que houve a queda de um óvni, antes, de serem elas encontradas.
Se isto for verdade, estas criaturas estariam pilotando estas aeronaves ? Ou seriam meras passageiras (obreiras) e foram deixadas para traz por impossibilidade de resgate ? Seriam elas aquilo que nós ufólogos até tememos em admitir, – mesmo que em tese – Robôs genéticos’, obreiros do espaço para exploração de planetas com meio-ambiente hostis aos ‘senhores do espaço’ ? Ops, viajei… Gener Silva


O que ocorreu em Varginha foi um fato verídico, comprovado por anos extensos de estudos e pesquisas de campo. No entanto, continua sendo abafado por forças estadunidenses infiltradas no exército brasileiro. Os corpos de varginha não estão mais no Brasil, já foram a muito enviados para os EUA onde eles se reservam o direito de fazer toda espécie de estudos com seres encontrados em outras nações. E o pior: nos forçam a manter tudo em sigilo absoluto para não sofrermos retaliações comerciais, sociais ou até mesmo bélicas.
Segundo as minhas leituras, os seres de varginha poderiam ser de duas procedências:
1 – Seres extraterrenos em visita de inspeção e reconhecimento na Terra. Eles teriam sofrido um acidente com a espaço-nave que os carregava e se refugiaram nas matas da cidade, onde foram encontrados e capturados. Infelizmente, não houve tempo para os mesmos re-contactarem a central de controle da missão e tiveram toda a tripulação de reconhecimento perdida ou por captura ou por morte natural devido às condições ambientais alheias da floresta onde cairam.
2 – Seres modificados genéticamente, provenientes de um projeto secreto do governo mundial. A aeronave que os carregava se acidentou em Varginha quando estariam sendo levados para um destino incerto. Os militares brasileiros foram imediatamente acionados pelos militares americanos para ajudar na captura dos seres que, por ventura, escaparam da nave de transporte e serem levados de volta aos EUA para não provocar alarde na população.
Com isso deixo a minha opinião. Lauro A. Junior

 

“Após ter lido todas as especulações e constatações”, que constituem nossas fontes de informação sobre o que aconteceu em Varginha, chegamos à conclusão de que se trata de mais um caso sob os efeitos de acobertamento que, como se sabe, ainda é uma arma poderosa utilizada pelas autoridades, diante das incertezas sobre os efeitos de fatos dessa magnitude no seio de nossa sociedade. Tem sido assim, em casos semelhantes, e certamente ainda será por um bom tempo, até que se consiga atingir o estágio em que a massificação da ufologia, aí, contando com a participação de toda a mídia, faria com que os governos, forçosamente reconhecessem a necessidade de um novo posicionamento diante dessa realidade, deixando de praticar o acobertamento. Os Ufólogos de nossa era são os bandeirantes de novos tempos que estão por vir e a campanha promovida pela UFO é um autêntico exemplo desse esforço que procura mostrar à humanidade que há uma realidade transcedental ainda desconhecida, ou negada, oficialmente. Sobre a procedência dos seres, sou de opinião de que têm origem extraterrestre, com tipologia pouco comum…,ainda. Edison

Há o problema de só lermos e discutirmos em casa via internet o que se passa em outro lugar, mas pode ter acontecido o seguinte raciocinio dos militares: se nem êles entenderam direito o que aconteceu, como é que êstes oficiais militares vão deixar fàcilmente as informações serem divulgadas, já que não poderiam explicar direito o que aconteceu?
A procedência? O quanto mais perceptivel ou concreto um fato é, mais curto é no tempo. O inverso também é válido. Faça uma analogia com o que diz sobre biorritmos o livro “Ritmos da Vida” da Sara Marriott, sobre “as quebras de passo” que podem ocorrer no entrecruzamento de um biorritmo ou ritmo e outro, mesmo fora da linha crítica e você terá uma idéia do que eu acho a respeito de percepções do incomum. Julio Barone Neto

Ao meu parecer, acredito que estes seres são alguma espécie de híbrido, que foram colocados propositalmente em algum veiculo pertencente aos seus criadores. Para mim não faz sentido a captura destes seres, pois se tratando de raças altamente desenvolvidas, não seria tão fácil de serem capturadas. Acredito que isto seja uma monobra das raças que criaram estes seres para nos despistar de algum plano que eles bolaram. Não tenho uma opinião formada sobre isso, mas acredito que que neste mato tem coelho. Estou de olho aberto quanto a estes seres e acredito que coisa boa não é.Reginaldo Pereira Martins Wackenroader

Acho que o Caso Varginha é tão ou mais significativo do que Roswell (o mais famoso caso em termos mundiais), mas como o UFO de Varginha estava sendo monitorado há tempos pelos militares americanos e sul-americanos, quando houve a queda, o local já foi isolado e limpo. Acho que na época, se não fosse o Ubirajara Rodrigues, o Vitório Pacaccini, e depois o Marcos Petit, o caso teria sido abafado pela forte influência das autoridades americanas – como no caso da tentativa de suborno da mãe das meninas.Acho que esses ufólogos e principalmente a mãe das meninas foram muito corajosos, porque se fosse na época da forte Ditadura Militar… não sei não … !Também acho, como o Wallacy, que a melhor definição seriam seres ou criaturas extraterrestres. É difícil definir algo que ao contato humano,matou o militar em poucas horas…Paulo Ribeiro Felisoni

Não sou especialista no Caso Varginha, mas acho que do ponto de vista popular, esta seria a chance de reverter o lado “piada” do ET de Varginha e firmar o argumento do chefe da ESA, mesmo nao sendo ele um especialista em exobiologia. Para o povo, talvez seria um passo a mais para se compreender com seriedade a possibilidade de haver, de fato, vida semelhante a nossa fora da Terra. É uma boa oportunidade de passar isso para a mídia, uma informaçao oficial de que o ser de Varginha era um ET, de fato. Mas, por outro lado, cá entre os que se dão com o assunto, sabemos que mesmo partindo do chefe da ESA tal informaçao, ela soaria um tanto vaga, visto que é apenas uma afirmaçao, sem uma prova documental, no caso. Para mim, o termo que melhor caberia para descrever o ser, seria mesmo “humanóide”. Mas, após reflexões, penso que a melhor forma para descreve-lo na revista Ufo, seria mesmo “extraterrestre”. Porque do ponto de vista jornalístico, este é o termo que mais tocará o público, é mais pop, digerível; e como disse no início, é a boa chance do caso ser visto e tratado com mais seriedade! Pepe Chaves

Aconteceu um grande acobertamento. E sua procedência sem sombra de duvidas EXTRATERRESTRE. Luiz Carlos Ribeiro dos Santos

Pois é, novos fatos estão a ser acrescentados aos que já conheciamos. Este militar resolveu contar o que sabia e que eram efetivamente ETs; os seres de Varginha. Acho que irão surgir sempre novos dados e que no fundo nunca teremos uma “conclusão realmente verdadeira”. Agora será que os fatos são mesmo assim como ele os conta?
Segundo o que tenho lido e as opiniões formadas por Ufólogos, investigadores e simpatizantes; creio tratarem-se efetivamente de seres extraterrestres. Temos igualmente informações de um disco voador que foi detectado nos radares; e que se tinha despenhado; embora não tenha sido encontrado… Depois os relatos das pessoas que viram os seres; e a forma estranha da morte do policial. No entanto não posso descartar a hipótese de que os governos façam experiências genéticas com seres humanos e ETs e que possam inclusive “misturar” ADN de ambos. Assim qual poderia ser o resultado fisíco de um ser desses? Francamente não sabemos… Um dia talvez possamos saber toda a verdade sobre o sucedido em Varginha. Tenhamos esperanças. Sandra Dourado – Portugal

 

Na minha opinião o que falta é encarar o fato como seria e que precisa ser analisada urgente e aquele que tiver conseguido um melhor resultado de pesquisas e estudo passar adiante e procurarmos fatos novos que possam a vir esclarecer melhor este mar de duvidas que já está instalado. Francisco Pita

Possuo informações importantes que dizem respeito ao dia 13 de janeiro de 1996, que para mim, foi quando tudo começou.
Possuo pesquisas feitas no dia 14 de janeiro, que eu mesmo realizei, que revelam dois casos de avistamento de ufo, com caracteristicas de helicóptero caindo e relatos mais, que somam as investigações do Claudeir Covo, na rodovia próxima a Tres Corações.
Enfim, vou elaborar alguns comentários e esses reveladores casos, já publicados em UFO 76…”Ufos em Minas Gerais” …QUE TEM CERTAMENTE UMA ligação direta a isto tudo. Márcio Teixeira

Tão curiosa a forma de se abordar o tema do Et de Varginha, é a forma como as autoridades da época se definiram oficialmente. O diretor dos Hospitais Regional e Humanitas, Adilson Usier Leite definiu que a movimentação excepcional ocorrida em ambos os hospitais foi resultado de dois fatos isolados: a) no Regional, um carro do Corpo de Bombeiros levou um corpo exumado para a realização de um raio x da coluna, pois tratava-se de um estudante de engenharia, filho de uma família tradicional da cidade, que fora encontrado morto numa cela da Polícia Civil, pouco depois de ser preso, acusado de roubo.b) No Hospital Humanitas teria havido a chegada dos equipamentos para a realização do primeiro transplante de coração na cidade. À revista “Isto É”, Leite afirmou: – “Quando surgiu esta história do ET achei melhor não comentar que policiais e bombeiros estiveram no Regional”. As abordagens e as manifestações oficiais ficaram aquém do necessário para uma interpretação lógica e plausível dos fatos, porém, as pesquisas de Ubirajara Rodrigues forneceram maior riquesa de detalhes. O problema das pesquisas de Ubirajara e Vitorio Pacaccini é o fato dos nomes das testemunhas e outras que foram objetos das investigações permanecerem anônimas. Claro que só tiveram acesso a elas sob o juramento do sigilo, mas isto prejudica o resultado final por ser necessária a confiança apenas nas condições éticas de ambos os pesquisadores, ainda que dignas de crédito. O fato do militar do ESA se manifestar positivamente a existencia das operações do sequestro e da ocultação dos cadaveres dos provaveis extraterrestres foi tardio e as dificuldades do crédito de tal depoimento se mantém à vista de que o caso é tempestuoso e a resultante é o aumento das condições polêmicas que revestem a cidade de Varginha, lançada à caça da exploração turistica com claras intenções economicas. Mesmo que o militar fosse de alta patente o crédito as suas afirmações não podem se concedidas automaticamente. É verdade que eu também não indico nenhuma outra facilidade para dirimir melhor o assunto, porém, como todas as casuisticas ufológicas são dificeis em acessibilidade e em condições para as pesquisas, Varginha não se constituiu em exceção a regra, bem como, seria necessário uma espécie de “quebra do decôro” de Ubirajara e de Vitorio para que outros pesquisadores se lançassem às pesquisas complementares que, se não elucidariam o assunto, pelo menos trariam conclusões mais abrangentes e seriam fundamentais para a compreensão do caso Et de Varginha. Guilherme Paula de Almeida


Gente, como entusiasta, e depois de todas as informações já publicadas sobre o caso, inclusive o estupendo e maravilhoso livro do Ubirajara, que li até a última vírgula, quase que por definição temos que admitir que os seres capturados, com certeza 2, e talvez 4, são extraterrestres.
Mas, se formos bem racionais, como o próprio Bira, o descobridor do caso, temos que adotar sua postura de cautela, e admitir que são criaturas estranhas, que até poderiam ter outra origem, que não alienígena.
Um dos problemas da Ufologia é sempre esse conflito, entre o “querer acreditar”, e a necessidade de comprovação material.Renato A. Azevedo

Não deu em nada e continuará em nada porque a ordem vem de cima. Manda calar a boca ou morre, pois já tive um encontro com os de preto, só roupa preta quando estão em serviço, pois são iguais a nós humanos e máquina tudo junto. Já vi humano no meio deles, nave e por aí tem muito mais ainda. Jarbas Antonio Antonio

Na minha opinião uma nave se acidentou em Varginha, havia tripulantes nelas que foram capturados pelas autoridades brasileiras, onde um delas foi alvejada a tiros, e todo o evento teve monitoramento e orientação do governo norte americano. Carlos Airton

Eu poderia tecer um longo comentário sobre estes “gringos” posudos e completamente boçais e idiotas – inclusive, o tal de Jan Aldrich, dentre outros entretanto, vou me ater a outros comentários direcionados a nossa pesquisa de Varginha – algo bem mais construtivo. Fico a me perguntar, porque será que certos indivíduos detestam ver o progresso (de alguma forma), de pessoas que possam ter passado por algum tipo de privação, no decorrer de suas vidas? Será que aprender e melhorar é algo cabível de críticas nefastas? No caso das meninas de Varginha (e da Sra.Luíza, mãe de Liliane e Valquíria) eu diria, que o próprio contato com os pesquisadores – e até, uma certa convivência para com os mesmos, ajudou-as a ter um melhor português, uma melhor postura. São pessoas humildes e simples mas, que nem por isto deixaram de ter vontade de melhorar. Usavam trajes adequados ao meio social onde freqüentavam, ao bairro onde sempre residiram, a igreja onde foram batizadas e principalmente, a condição financeira que possuíam. Elas eram menores de idade e não tinham um trabalho fixo. Com o passar do tempo, foram se inserindo no mercado de trabalho, e puderam melhorar o seu vestuário, de maneira geral. Além disto, se tornaram moças adolescentes, que também têm suas naturais vaidades – qual o problema? Moças que também querem namorar – será que isso é proibido? As mulheres são vaidosas por natureza – em qualquer lugar do mundo; todos sabemos disto. Será que as meninas de Varginha só teriam credibilidade se somente aparentassem ser: patinhos feios e miseráveis? Então, se antes, nas primeiras entrevistas, elas apareciam com uma expressão mais acanhada, com roupas mais surradinhas….e agora estão mais seguras de si, mais maduras e com um visual mais arrojado….isto por si só, já significa que o testemunho delas não pode ser levado em conta….e que foi tudo uma farsa!?!?! Se é este o pensamento preconceituoso, que se sucede em algumas cabeças….eu quero distância plena e absoluta destas “cabeças de bagre”!!!!Em momento algum, tivemos a pretensão de podermos apurar tudo e com todos os detalhes existentes – lembre-se, a princípio, nada daquilo era para ter sido levado ao conhecimento do público. É claro que algumas lacunas ainda existem mas, não podemos nos esquecer, que o que foi obtido ao longo de todos estes anos, foi com imenso sacrifício; convivendo com pessoas/testemunhas que tinham (e têm), medo de morrer, de serem perseguidos, e perderem os seus empregos, de serem processados. As forças militares trataram de desenvolver o mais severo sigilo e silêncio sobre os acontecimentos. Acobertaram tudo o que esteve em seu alcance. Com certeza, obter informações naquela ocasião, tornou-se uma tarefa hercúlea – nem tudo o que desejávamos saber, foi possível contudo, com o que pudemos apurar – e repito – “a duras penas”, já não nos deixou a menor dúvida do que havia acontecido no sul de Minas, quem estava envolvido e etc… Desta forma, aparecer nos dias de hoje, algum metido a esperto, para dizer que estão faltando alguns dados aqui e acolá……eu diria: “Grande novidade, Einstein”!!!!Se todas as informações estivessem abertas e disponíveis, caindo do céu de para-quedas, os pesquisadores de campo não teriam nem precisado executar todo o trabalho; a imprensa mesmo, teria acesso a tudo, e noticiaria amplamente, com todas as minúcias!!! A pesquisa de Varginha foi, desde o seu início, muito dispendiosa – os pesquisadores não contaram com nenhum patrocínio. Em termos profissionais, todos se prejudicaram pois, tiveram de estar fora de seus respectivos ambientes de trabalho, por diversas vezes – afora, custos dos mais variados que creio, nem preciso especificar quais. Quanto ao que tange a minha pessoa, assunto total responsabilidade por tudo o que declarei, divulguei e escrevi; dentro do âmbito da pesquisa. Desafio qualquer pessoa a provar que estive inventando paspalhices e fazendo circo, para aparecer na mídia. Muito antes de Varginha, já possuía inúmeras expedições ao campo, com pesquisas das mais amplas e interessantes – durante muitos anos, junto ao meu grupo CICOANI – liderado pelo Prof.Húlvio Brant Aleixo. Toda a experiência e conhecimentos acumulados, foram extremamente úteis, à pesquisa de Varginha. Tenho um nome de família do qual muito me orgulho e honro; tenho um nome dentro da pesquisa de campo, que igualmente, sempre soube zelar. Quanto ao outro pesquisador sul mineiro, Dr.Ubirajara Rodrigues – eu, testemunho em qualquer tribunal, a qualquer momento, que o mesmo, jamais faltou com a verdade dentro da pesquisa. Jamais esteve fora de suas faculdades mentais. Sempre teve muito esmero em apurar os fatos e a verdade. É um pesquisador com muitos anos de experiência, e com trabalhos notáveis principalmente, o “Caso Baependi”, que é na minha opinião, um dos melhores casos da história da ufologia mundial, juntamente com o “Caso Hermelindo”, o “Caso da Sagrada Família”, o “Caso do Hospital da Baleia”…dentre vários outros. Mesmo que desavenças possam ter ocorrido no passado (problemas outros são secundários neste momento – vamos focar o que realmente importa: a pesquisa de Varginha); jamais permitirei que acusem o Dr.Ubirajara Rodrigues de mentiroso e fantasioso….pelo contrário, ele ainda é uma das maiores âncoras que o Brasil possui, no combate aos místicos desenfreados, “tan tans” e mitômanos! Quem o conhece, sabe muito bem disto. Por fim saliento, que mesmo tendo estado muito atribulado de uns anos para cá, com minhas atividades profissionais e meus estudos, nunca perdi o contato com a pesquisa de Varginha e muito menos, perdi o interesse pela pesquisa ufológica de campo, como um todo. Estou apenas e creio eu, compreensivelmente, um pouco mais afastado. Senhores, defendo esta pesquisa de Varginha até o dia do juízo final, se for necessário. Lamento muito que a nossa pesquisa de campo, incomode a alguns gringos enfadonhos. Estive palestrando em Roswell e vi com meus próprios olhos, o “comércio gigantesco”(literalmente, tudo) que existe na cidade, em função da ocorrência de ordem ufológica, dos idos de 1947; e nem por isto passei a entender, que o colega Dr. Stanton Friedman inventou um monte de abobrinhas visando o lucro em cima da estória/ou que seja louco – eu ainda acredito nele e em seu trabalho, tendo Roswell em bom crédito. Quanto ao evento de Varginha, que possa ser jubilado com pleno êxito. Tenho certeza de que o público presente irá gostar muito. Vitorio Pacaccini
O Caso Varginha – Revista Vigília –http://www.vigilia.com.br/sessao.php?categ=5&id=49

Convidado: Ubirajara Franco Rodrigues (ubirajararodrigues@netvga.com.br) Realizado em: 18/03/2001 – Horário: 13h00min
Neste Chat Temático realizado pela Revista Vigília e Canal #UFO (rede Brasnet de IRC), o convidado Dr. Ubirajara Franco Rodrigues conversou com os participantes e respondeu a perguntas sobre um dos mais intrigantes e polêmicos casos de toda a história da Ufologia: o Caso Varginha. Como um dos principais investigadores do episódio, 5 anos depois, Ubirajara foi objetivo e eficiente ao falar sobre os principais aspectos do caso. Um chat histórico, com participação recorde.
Confira, a seguir, a íntegra do bate–papo:
AvisoUFO: Bem amigos e leitores, estamos então iniciando o papo de hoje com o pesquisador Ubirajara Franco Rodrigues. Advogado e um dos mais respeitados investigadores da Ufologia brasileira na atualidade, Ubirajara Rodrigues é também um dos principais investigadores do polêmico e mundialmente conhecido Caso Varginha. Agradecemos ao nosso convidado por participar desse chat com os leitores da Revista Vigília e pedimos desculpas pelos problemas que ocasionaram a transferência do chat das 19 para as 23 horas.
UbirajaraRodrigues: Boa noite aos caros amigos, colegas, e leitores da Revista Vigília. Parabéns ao Jeferson e equipe pelo excelente, sério e imparcial trabalho.
ModeradorUFO: ufonauta pergunta: Dr. Ubirajara, o senhor pode afirmar com certeza absoluta q criaturas foram capturadas pelo exército brasileiro? e essas criaturas na sua opinião são extraterrestres ou resultado de combinações genéticas produzidas aqui na terra?
UbirajaraRodrigues: Ufonauta, não tenho a menor dúvida de que o Exército se apoderou de ao menos duas criaturas em nossa cidade. Quanto a serem extraterrestres, não há qualquer dado que nos permita fazer uma afirmação assim. Dos fatos, não temos dúvidas.
UbirajaraRodrigues: Por outro lado, afirmar que sejam “aberações genéticas” seria trabalharmos com uma absoluta ausência de dados científicos, correndo o risco de cometermos um equívoco mais absurdo ainda.
ModeradorUFO: ThunderStrong pergunta: Além das 3 garotas, e o casal que morava no sítio, existe algum outro civil que teve contanto direto com as criaturas e (ou) a provável espaçonave?
UbirajaraRodrigues: Caro Thunder, o que eu, particularmente, faço questão de frisar, é que o que menos se encontra no contexto do Caso Varginha é a presença de uma suposta “espaçonave”. Há vários outros civis que presenciaram os principais acontecimentos.
ModeradorUFO: cetesbr pergunta: O “Caso Varginha” ao que parece foi encampado politicamente pela prefeitura. Em minha opinião isso é altamente perigoso para o processo investigatório, além do risco de a coisa sair do controle (vide Roswell). Qual sua opinião sobre isso?
UbirajaraRodrigues: Concordo totalmente com sua opinião, Cetesbr. Sempre que um caso assim cai nas sendas da exploração, por melhor que seja esta, aumenta a possibilidade de surgirem eventos e pessoas sem qualquer compromisso. É prejudicial para as investigações sim……..
UbirajaraRodrigues: Tenho-me limitado a cooperar, apenas quando solilcitam algum material para copiar, tipo “xerox” ou dados.
ModeradorUFO: amicucci pergunta: Sr Ubirajara, gostaria de saber se a Ufologia dispõe de documentos que não depoimentos sobre o caso Varginha, tais como fotografias, laudos ou relatórios oficiais das forças armadas, ou algo de mais concreto do que depoimentos.
UbirajaraRodrigues: Desde o início da grande divulgação do caso, pessoalmente faço questão de frisar que temos plena consciência de que estamos lidando exclusivamente com testemunhas. Afinal, testemunhas é que provam os fatos. Porém, essa mesma consciência nos obriga a……
UbirajaraRodrigues: a reconhecer que as mais contundentes provas testemunhais não podem ser mostradas. E isto serve para o não convencimento de muitos, com o que tenho de concordar. NÃO HÁ QUALQUER PROVA DOCUMENTAL, OU FOTOS E LAUDOS, MUITO MENOS DAS FA, em nossas mãos……
UbirajaraRodrigues: que comprovem alguma coisa.
ModeradorUFO: Eric_Idle pergunta: Quais são as provas de teor VERIFICÁVEL que podem ser, incontestavelmente, aceitas sobre o caso do et de VArginha?
UbirajaraRodrigues: Provas de teor VERIFICÁVEL, a não ser a ANÁLISE e a INTERPRETAÇÃO dos depoimentos testemunhais? ABSOLUTAMENTE NENHUMA, Eric_Idle.
ModeradorUFO: ufobrasil pergunta: Quais são as últimas “novidades” do caso? O que você acha da prefeitura da cidade de Varginha querer ganhar dinheiro e atrair turistas com o acontecimento?
UbirajaraRodrigues: Perdão. Com a qual não possuo qualquer relacionamento, no tocante à exploração turística do caso, a não ser cooperar fornecendo algumas “xerox”. Não acho que isto seja positivo para a pesquisa em si. Mas, se você não consegue pisar nos primeiros……….
UbirajaraRodrigues: Nos primeiros degraus de Roswell, sem que lhe ofereçam ao menos um “souvenir”, creio que a cidade de Varginha até faz bem em tentar aproveitar, desde que seriamente, o Caso.
ModeradorUFO: Bastian_32 pergunta: Em entrevista para o canal Infinito, foi afirmado que tem testemunhas afirmando os fatos ocorridos e inclusive com filmagem . Pergunto: Quando é que esses fatos poderão vir a publico?
UbirajaraRodrigues: Este é outro ponto do qual temos convicção, inspirados no que nos disseram testemunhas sigilosas, Bastian. Foram feitos filmes durante a retirada de um “corpo” do Hospital Humanitas, por um membro da Polícia Militar. …………….
UbirajaraRodrigues: Por algumas vezes, QUASE conseguimos obter uma cópia. Mas, na hora “H”… a coisa se desvanecia, o que já era de se esperar. Mas mantemos esperança de um dia a obtermos.
ModeradorUFO: [Genesis] pergunta: Houve algum novo laudo em relação à morte daquele soldado no hospital, que disseram ter sido relativa ao caso? Qual a conclusão daquela morte?
UbirajaraRodrigues: O caso da morte do soldado Marco Eli Chereze culminou com um Processo Crime, em que o Promotor de Justiça deu parecer no sentido de se enviar o Inquérito para a Justiça Militar, por questão de competência. Ou seja, o médico que teria operado o soldado…
UbirajaraRodrigues: Poderia ser denunciado e responder a uma ação criminal. O único laudo é o do IML, contido em tal processo. Uma “causa mortis” foi infecção generalizada, além de outras. E 8% de microorganismo desconhecido, o que, aliás, não é tão incomum em mortes assim.
ModeradorUFO: wwww pergunta: o sr. sabia que logo após a chegada dos “caixotes” em Campinas a secretária do Sr. Badan Palhares foi enviada às pressas a Washington? Se sabe, pergunto o sr. ou algum membro de sua equipe perguntou ao Sr. Badan o por que disso?
UbirajaraRodrigues: Eu jamais soube que a secretária do Prof. Fortunato Badan Palhares foi aos EUA. O que estranho, pois possuímos testemunhas na UNICAMP, DIRETAMENTE ligadas aos fatos.
ModeradorUFO: Gillan pergunta: No programa Comando da madrugada teria sido mostrado ao apresentador Gular de Andrade uma fita onde é mostrada o ser extra-terrestre. Essa fita existe mesmo? E se encontra com quem?
UbirajaraRodrigues: Gillian, as fitas mostradas ao repórter Goulart de Andrade, contêm depoimentos de ALGUMAS testemunhas MILITARES. Nada contêm sobre os “seres”.
ModeradorUFO: wwww diz: na época fui eu o militar q contatou o Sr. Claudeir Covo e avisei do Translado dos “caixotes” para Campinas, meu codinome era Carlos
ModeradorUFO: wwww diz: posso confirmar os seguintes dados:quatro (4) caixotes foram encaminhados à UNICAMP, uma área grande da UNICAMP foi isolada, 3-uma unidade militar desconhecida fez a segurança do local, impedindo inclusive a entrada de um procurador do estado…
UbirajaraRodrigues: Caro www, soubemos do transporte do “material” para Campinas, de pessoas DIRETAMENTE envolvidas nos fatos. Mas eu me lembro de o Claudeir ter mencionado a sua pessoa. É um prazer conhecê-lo. Um abraço.
ModeradorUFO: wwww diz: técnicos americanos foram vistos por quase todos os funcionários perambulando pelo local, aeronaves de asas rotativas (helicópteros) sem identificações foram observadas no local, entendo, gostaria de saber se o convidado está ao par destes dados ou só o Sr. Covo.
UbirajaraRodrigues: Caríssimo www, os seus dados estão corretos, porém pelo que saibamos apenas DOIS “caixotes” chegaram lá. Mesmo assim, muito obrigado.
UbirajaraRodrigues: Sim, www. Estou a par de tais dados, em termos, como frisei.
ModeradorUFO: Daphinen pergunta: Luiza Helena da Silva, recebe um visita de quatro elementos de terno escuro e gravata, oferecendo-lhe reculpensas, para que gravasse um video desmintindo a visão das criaturas, dizendo que havia sido uma brincadeira. Quem seria esses quatro elementos?….
UbirajaraRodrigues: Daphinen, muitos colegas acreditam que sejam “agentes” de algum serviço secreto. Outros, aventam a mera hipótese de que poderiam tratar-se de pessoas que representassem instituições para as quais um fato como este não interessa nem um pouco……………
UbirajaraRodrigues: Eu me enquadro nos que preferem essa última hipótese. Porém, instituições que, a priori, nada teriam haver com serviços secretos, área militar e governamental.
ModeradorUFO: LexLuthor pergunta: Sr. Ubirajara, é verdade que houve visita de aviões da força aérea americana a uma base brasileira próxima a Varginha algumas horas após o incidente?
UbirajaraRodrigues: Caro amigo arquiinimigo do Super-Homem, realmente foram avistados homens trajados com uniforme da USAF, dentro das instalações da Escola de Sargentos das Armas. Não me consta que aviões da USAF tenham aparecido.
ModeradorUFO: Gillan pergunta: O Sr, saberia dizer se na época do caso estavam avendo muitos relatos de avistamentos de ovinis na região?
UbirajaraRodrigues: Sim, Gillian. Em dias anteriores ao Caso, vários registros de alegados UFOs nos chegaram ao conhecimento. Não só na região de Varginha, mas em vários outros locais. E em outras partes do Brasil também.
ModeradorUFO: MIBII pergunta: Qual sua opinião de investigador do caso sobre a morte do soldado?
UbirajaraRodrigues: MibII, minha opinião é a de que, de fato, o soldado morreu circunstâncias no mínimo “coincidentemente curiosas”. Mas tal morte nos permitiu descobrirmos quem foram os dois PM (p-2) que haviam feito a captura da noite. Este é o principal ponto em que …..
UbirajaraRodrigues: Em que tal fatalidade contribui. Mas a cirurgia a que ele se submeteu é uma hipótese de causa para tal fato, tão ou mais considerável quanto a que faz supor uma “contaminação” pelo contato.
ModeradorUFO: MENDOSUS pergunta: É verdade q houve aparição no zoologico da cidade,e q lá animais morreram contaminadas com uma toxina q tb causou a morte d um membro da policia do exercito?
UbirajaraRodrigues: Mendosus, cinco animais morreram no zoo da cidade, sem detecção da causa (análises em laboratório de Belo Horizonte), num espaço de UM MÊS, ANTES do avistamento de uma senhora…………..
UbirajaraRodrigues: Tal senhora, Da. Terezinha Clepf, afirma ter avistado um “ser” similar ao que protagonizou o Caso, em Abril daquele ano.
ModeradorUFO: Cruzader pergunta: Sr Ubirajara: Foi constatados níveis de radiação anormais e/ou alterações físicas nos locais onde foram encontradas as criaturas ?
UbirajaraRodrigues: Mas eu gostaria de frisar, se me permitem. Uma vez que nada foi constatado sobre a causa da morte dos animais, NÃO HÁ qualquer “toxina” que relacione essas mortes com o falecimento do soldado. Mesmo porque, não foi descoberta nenhuma “toxina”, nesteúltimo
UbirajaraRodrigues: Não, Cruzader. Eu solicitei a uma empresa da cidade, na tarde seguinte, um detector de radiatividade, com caneta dosimétrica, instrumentos que aliás eu já utilizara em outro caso, anos antes. Também não foi notada qualquer alteração física. Nem marcas.
ModeradorUFO: Editor_da_STR pergunta: Nao eh estranho afirmar como evidencia de que houve algo a simples investigacao dos EUA, quando se sabe que os EUA investigam tudo, como por exemplo, o caso do brasileiro que mandou um mail ameacando o Clinton e foi investigado?
UbirajaraRodrigues: Eu acho isto sim, caro Editor STR. Aliás, acho tanto, que não me lembro, salvo melhor juízo, de ter afirmado que nossas conclusões são inspiradas na “simples investigação dos EUA”. A não ser que não tenha entendido sua pergunta.
ModeradorUFO: AcidZero pergunta: O legista Badan Palhares foi dito como tendo sido o realizador da autopsia do ET. Foi tudo desmentido e só serviu pra afetar a credibilidade do caso,que notadamente é sério. Alguma evidência nova em relação a autópsia?
UbirajaraRodrigues: E também não acho que podemos exagerar ou superestimar tanto as investigações dos EUA, ao ponto de acreditarmos que a USAF esteve aqui apenas porque uns “loucos”, ou (mais bonito) “PSEUDO-CIENTISTAS” afirmavam que ocorrera a captura de duas “criaturas”.
ModeradorUFO: Cruzader pergunta: Após o Caso Varginha, houve relatos de avistamentos na região? Se houve, quanto tempo depois?
UbirajaraRodrigues: AcidZero, o Dr. Palhares desmentiu tudo desde o início. Mas o fez (e uns poucos têm percebido) com respeito. Porém é claro que jamais poderíamos esperar dele que confirmasse. Pelo contrário. Nenhuma evidência nova. Mas estamos certos de que ele………..
UbirajaraRodrigues: ele, e vários outros, estiveram com o “material” em mãos.
UbirajaraRodrigues: Cruzader, tivemos notícia de alegados avistamentos praticamente todos os dias, nos vinte ou trinta dias posteriores aos principais acontecimentos. Em Varginha, mas principalmente na região do sul de Minas e limítrofes.
ModeradorUFO: Editor_da_STR pergunta: Houve realmente uma autopsia do ET de Varginha??!! Ninguem guardou uma amostra de tecido? Ou tudo sumiu?
UbirajaraRodrigues: Editor da STR, estamos certos de que o material foi minuciosamente analisado em Campinas (Unicamp). Porém jamais pudemos ter acesso a qualquer laudo ou documento (conclusivo ou não).
ModeradorUFO: ufobrasil pergunta: Sr. Ubirajara, queria saber como a imprensa de modo geral atuou sobre o caso? As publicações que relataram o incidente, relataram como realmente ocorreu, ou algumas vezes distorceram os fatos?
UbirajaraRodrigues: Ufobrasil, a Imprensa (acho que numa das únicas vezes), tratou o Caso, geralmente, com a maior seriedade. Mas, claro, pela “correria”, pois todos queriam publicar rapidamente alguma coisa, colocaram sim várias informações contraditórias, truncadas……..
UbirajaraRodrigues: Outras vezes com mal-entendidos flagrantes. E seria simplesmente impossível que nós nos dedicássemos a escrever a cada um dos veículos de comunicação, pedindo que corrigissem o que haviam entendido erroneamente de nossas palavras.
ModeradorUFO: AcidZero diz: Ainda em relação a autopsia: o fato mais controvertido foi terem alardeado que a autopsia foi feita no subsolo “secreto” da unicamp. Nunca estive lá,mas quem estudou lá acha completamente improvável ter alguma coisa no subsolo de lá.
UbirajaraRodrigues: AcidZero, há realmente na UNICAMP instalações (laboratório inclusive) de acesso restrito. É tão provável que até as PLANTAS de tais instalações nos chegaram às mãos.
ModeradorUFO: Bastian_32 pergunta: O Sr poderia dizer algumas palavras sobre a frase que o Dr Badan Palhares afirmou em particular após pergunram sobre os supostos seres:” Daqui a 10 a 15 anos vc me faz novamente esta pergunta”
UbirajaraRodrigues: Escelente pergunta, Bastian 32! O Dr. Palhares, numa conferência em uma Escola de Direito, ao ser indagado se tudo o que se alegava a respeito de sua particição era verdadeiro, respondeu…………………
UbirajaraRodrigues: “Quem sabe, se você me fizer esta pergunta dentro de uns 10 ou 15 anos, eu poderei lhe responder como eu gostaria!…” . Estas foram as reais palavras dele. Uma ironia? Um modo educado de dizer “Ora essa!”? Ou pode ser interpretada de outra forma? …….
UbirajaraRodrigues: Muito cômodo, pois simplesmente não podemos afirmar que ele tenha insinuado que, por exemplo, “agora não posso dizer, mas quem sabe a futuro”. Temos que ter cuidado com tais interpretações.
ModeradorUFO: Gillan pergunta: Na sua opinião, o que o Sr. acha que esses “seres” estavam fazendo em varginha?
UbirajaraRodrigues: Gillian, perdoe-me pela objetividade da resposta, mas NÃO FAÇO A MÍNIMA IDÉIA. Compreendeu, amiga? Abraço.
ModeradorUFO: amicucci pergunta: Houve acontecimentos relevantes após a captura dos seres e seu transporte para a Unicamp, ou o caso morreu ali, sem mais atividades nos dias e semanas seguintes a esses fatos?
UbirajaraRodrigues: Amicucci, posteriormente apenas ocorreu um número muito grande de alegados avistamentos de Ufos. Na verdade, o Caso é um enorme e complexo contexto, do qual os investigadores sabemos apenas ALGUNS FATOS. Não sabemos de tudo, nem temos certeza absoluta….
UbirajaraRodrigues: De toda a “trama”.
ModeradorUFO: ThunderStrong pergunta: Dr. Ubirajar, o Sr tem idéia de quantos dias durou a operação dos militares (especificamente na cidade de Varginha), visto que havia 2 extra-terrestes, capturados em tempos diferentes?
UbirajaraRodrigues: Caro ThunderStrong, ao que tudo indica tudo começou UMA SEMANA antes do dia 20 de janeiro de 96. Já estavam alertas e atentos a coisas, diagmos, “incomuns”. E, só para complementar, particularmente não sou dos que AFIRMAM que se tratavam……….
UbirajaraRodrigues: Que se tratavam de “extraterrestres”, necessariamente. Até SUPONHO, quero ACREDITAR (como todo bom “pseudo-cientista”).Mas, entre eu querer acreditar e a coisa REALMENTE SER, existe uma enorme diferença. Concorda, amigo?
ModeradorUFO: wwww pergunta: permita-me dizer, q após o ocorrido em Varginha ,um grupo de generais veio até o 28 BIB,para inspecionar os computadores de lá,que estavam quebrados, ficaram no quartel 30 min. e 12 horas cpm destino ignorado e tudo isso ocorreu em sincronia com os acontecidos da UNICAMP. Quanta coincidencia não?
UbirajaraRodrigues: Sim, caro www. Estranhas coincidências! Mas a coisa foi justificada como, entre outras finalidades, tratar da COMPRA de 16 microcomputadores para o Exército. Esta reunião foi de 29 Generais.
ModeradorUFO: Bastian_32 pergunta: O escritor J.J.Benidez veio ao Brasil para pesquisar sobre o caso Varginha e desmoralizou a Ufologia Brasileira inclusive no cenario Mundial. O Sr acha que ele fez aquilo p/ se promover o
ModeradorUFO: ou implicancia com a Ufologia Brasileira?
UbirajaraRodrigues: Ha ha, Bastian! Não acho que a intenção do Sr. Benitez tenha sido esta. E, por outro lado, também não acho que a ufologia brasileira saiu desmoralizado. Ele sim, talvez!
ModeradorUFO: Cruzader pergunta: 29 generais para comprar computadores?
UbirajaraRodrigues: A ufologia brasileira apenas tentou mostrar ao Sr. Benitez que buracos feitos por cavadeiras, e a marca de um cupinzeiro retirado, não significam necessariamente “marcas deixadas pelas hastes de uma nave espacial pousada!. (Rs)
UbirajaraRodrigues: Pois é, Cruzader… é muito General para tão pouco computador, não? Esta foi apenas uma das VÁRIAS contradições cometidas por Setores respeitáveis, diante do Caso.
ModeradorUFO: cetesbr pergunta: às vezes fico com a impressão de que o caso, após tantos acontecimentos: divergência entre pesquisadores, interesses políticos, ausência de fatos/provas concretas e até o lançam,ento de um game de computador atingiu um beco sem saída. Quais as suas expectativas para o futuro, recente que seja?
UbirajaraRodrigues: Amigo Cetesbr, você está certíssimo. Todo Caso de muita envergadura provoca isto. Antes de tudo, pela absoluta, total, absurda e ridícula imaturidade NOSSA, de nós, os ufólogos. Minhas expectativas são de esperança. As investigações nunca pararam ……..
UbirajaraRodrigues: E nunca pararão. Observe que Roswell já passou dos 50 anos, com muita aquisição superior à nossa, mas ainda sem qualquer coisa de conclusiva e comprobatória. Acho que fizemos até demais, em tão pouco tempo. Vamos continuar sempre à cata de informações.
ModeradorUFO: AcidZero pergunta: O senhor tem se dedicado a algum caso novo na área de Ufologia? Se sim,qual o mais interessante?
UbirajaraRodrigues: Tenho, AcidZero. Como me formei recentemente em um curso de Psicanálise, estou muito interessado (aliás,sempre fui) em Abduções. Estou às voltas há mais de dois anos com um caso numa cidade próxima, POSSIVELMENTE de abdução REPETIDA. Mas,aprendi com……
UbirajaraRodrigues: Com o Caso Varginha, que somente darei ao público da ufologia os resultados de minhas modestíssimas pesquisas, após ter alguma coisa de mais concreto, por assim dizer.
ModeradorUFO: Voltando ao caso Varginha. MIBII pergunta: Sr. Ubirajara, poderia explicar melhor essa história dos 29 generais?
UbirajaraRodrigues: Posso ser um pouco mais longo em tal explicação, Sr. Moderador?
ModeradorUFO: fique a vontade… 🙂
UbirajaraRodrigues: Os oito comandos militares do Exército começaram a ser equipados com um sistema de rastreamento territorial por satélite……..
UbirajaraRodrigues: Desenvolvido pelo Núcleo de Monitoramento Ambiental da Embraba (NMA). Começou pelo Comando Militar do Sudeste em São Paulo………
UbirajaraRodrigues: O Sr.Ministro do Exército, Zenildo Lucena, anunciou a iomportação desse sistema em 20 de Maio de 1996, na cidade de Campinas. Tal visita do Min. do Exército revistiu-se de um certo mistério………
UbirajaraRodrigues: E de visível discrição, apesar de oficialmente destinada a uma reunião com o alto Comando e a tratar do “Projeto ExPCEx 2000”, de informatização do 28 Batalhão de Infantaria Blindado. O sistema permite que……….
UbirajaraRodrigues: ens de satélite, seja acompanhado o deslocamento de tropas, descobertas invasões de áreas indígenas e combate ao narcotráfico. Só?! …………
UbirajaraRodrigues: Esta coincidência aconteceu após as capturas de Varginha e a condução das criaturas exatamente para a cidade de Campinas, onde teriam sido entregues na Escola Preparatória de Cadetes e analisadas na Unicamp………..
UbirajaraRodrigues: Além de cuidar das questões do sistema de rastreamento por satélites, o Min. do Exército, Zenildo Zoroastro de Lucena, esteve reunido em Campinas com 29 Generais. (…….)
UbirajaraRodrigues: E isto se deu no encontro com o Alto Comando do Exército. Era a primeira vez que isto se dava, pelo que consta, fora da Capital federal. APENAS UM JORNAL LOCAL, AVISADO POR NÓS OS UFÓLOGOS, noticiou tal reunião incomum, que visava, segundo …………
UbirajaraRodrigues: Segundo fontes oficiais, o acompanhamento de licitação de compra de 16 micro computadores, entre outros assuntos. (Perdão pela resposta longa).
ModeradorUFO: AMO pergunta: sou d varginha..e queria saber do dr. ubirajara, se ele ficou sabendo que o caso do et, foi apenas um modo d abafar um caso de assassinato de um preso na cadeia publica de varginha…por um policial
UbirajaraRodrigues: Corrigindo – que, com imagens de satélite… (etc)
UbirajaraRodrigues: Caríssima Ana, ou melhor, caro(a)AMO, sua pergunta demonstra um ineditismo tão grande, que eu sou quem lhe devo perguntar – somente agora você ficou sabendo disto? Bem, tal estória acompanha o caso desde o início. O Sr. José Maria M. (……)
UbirajaraRodrigues: Omiti o restante do sobrenome por questão de ética. Ele foi preso na zona boêmia da cidade, sob suspeita de haver furtado dinheiro do caixa da boate. E amanheceu enforcado na cadeia. A família desconfiou de assassinato dentro da cela e pediu abertura de..
UbirajaraRodrigues: de um Inquérito Policial, para apurarem-se responsabilidades. O caso repercutiu como nunca, foi amplamente divulgado, inclusive com nomes de pessoas e militares supostamente envolvidos. Houve exumação do corpo, EM DIA QUE NADA TEM HAVER COM O CASO……..
UbirajaraRodrigues: Possuo em meus arquivos cópias COMPLETAS das investigações, do Inquérito e do Processo. Tive acesso ao auto de exumação, aos advogados da família do morto e investiguei DIRETAMENTE com a Polícia Militar de Varginha. Lamentavelmente devo dizer que, se …
UbirajaraRodrigues: Se um Caso como o de Varginha, de tanta repercussão mundial e envolvendo tanta gente, tivesse de ser criado todas as vezes em que um incidente como o preso enforcado ocorre, teríamos casos varginhas acontecendo NO BRASIL TODO, em TODOS OS DIAS!
ModeradorUFO: segundo wwww, a aquisição de tais computadores não se deve a tal destino. trata-se de uma cortina de fumaça. apenas de informatização dos serviços das Unidades, nada mais ,o resto é desinformação plantada pelos meios de inteligencia S2. os computadores já existiam a pelo menos dois anos antes do caso.
UbirajaraRodrigues: As informações de www são realmente muito bem vindas. Espero que ele volte a procurar meu querido amigo, o competentíssimo Dr. Claudeir Covo. é isto aí, www.
ModeradorUFO: Lual pergunta: A nave em questão caiu , ou foi derrubada?
UbirajaraRodrigues: Caro(a) Lual, a “nave” em questão, repito, é o que de menos existe no contexto do Caso Varginha, Simplesmente não podemos afirmar que haja uma “nave” envolvida nos fatos. Eu estou escrevendo umas coisas sobre o caso, e dedico todo um capítulo……..
UbirajaraRodrigues: Ao que eu chamo de “A Nave Furtiva”. Permito-me dizer, com o devido respeito, que, qualquer ufólogo que afirmar com segurança que uma nave exista definitivamente na estória, estará fazendo mera especulação desaconselhável.
ModeradorUFO: AMO pergunta: Eh verdade q o et apos ser capiturado ele esteve na ESA, em tres coraçoes??
UbirajaraRodrigues: É verdade, AMO. Ambas as “criaturas”, uma morta e outra viva, estiveram na EsSA.
ModeradorUFO: Eric_Idle pergunta: Se ninguém teve acesso ao material da autópsia, como têm tanta certeza de que há tal material?
UbirajaraRodrigues: Eu afirmei foi que NÓS não possuímos tal material, Eric_Idle.
ModeradorUFO: [CAPeta] e MIBII perguntam: Existem provas de que essas criaturas estiveram na ESA? Por que a EsSA? Por que não levaram direto para seus destinos finais: Unicamp e EUA, segundo dizem?
UbirajaraRodrigues: Capeta e MIBII, a unidade militar (Exército), mais próxima – 25 km. apr. – é a EsSA. Ambas as “criaturas” foram capturadas no mesmo dia, uma à noite. Logo pela manhã da segunda-feira foram levadas para a Unicamp. Agora, porque não conseguiram……
UbirajaraRodrigues: Um helicóptero, ou quem sabe um disco voador, para levar o material direto para Campinas, não sei a razão. O Exército fez a operação de retirada da cidade. Nada mais lógico que o sigilo abrangesse suas instalações. Quanto aos EUA, existem até sites na …
UbirajaraRodrigues: Na Internet, dizendo que EU afirmei que tudo foi levado para os EUA. NUNCA, JAMAIS, afirmei isto e não tenho a mínima idéia se tal aconteceu. Não sabemos, nem de longe, se este material ainda se encontra no Brasil e muito menos onde. ……
UbirajaraRodrigues: Portanto, a afirmação de que foi para os EUA não coincide, pelo que eu saiba, com qualquer informação a que eu tenha tido acesso.
AvisoUFO: Estamos encerrando aqui o chat com o pesquisador Ubirajara Franco Rodrigues, um dos mais respeitados investigadores da Ufologia brasileira e também um dos principais investigadores do polêmico e mundialmente conhecido Caso Varginha.
AvisoUFO: Pedimos ao Dr. Ubirajara que faça suas considerações finais. .. Destacamos apenas que vários participantes gostariam de trocar informações diretamente com o convidado. Mas lembramos que a permanência no canal após o encerramento do modo moderado depende da disponibilidade do convidado.
UbirajaraRodrigues: Caro Jefferson, muito obrigado por ter-me concedido essa honra. Honra mesmo, considerando-se o maravilhoso e importante trabalho que vocês fazem na Revista Vigília…
UbirajaraRodrigues: Aos amigos, colegas pesquisadores, ufólogos e interessados, que participaram ou assistiram, meu sincero abraço. Espero ter esclarecido, ao menos um pouco, sobre a minha posição diante do Caso. Meu e-mail é ubirajararodrigues@netvga.com.br.
Caros amigos que perguntaram sem o mediador, eu gostaria muito que entrassem em contato comigo por e-mail. Só não respondi porque o chat não permitia. Muito obrigado e aguardo seu valioso contato. Ubirajara Franco Rodrigues


Nomenclatura é um assunto importante. Quanto a mim, por apreço à precisão conceitual, prefiro usar o termo “alienígena” ao invés de extraterrestre, pelo mesmo motivo de Budd Hopkins. É um termo que define pelo negativo, define pelo que a coisa não é. É o mais adequado pra mim, ou o “menos desadequado”, porque condiz com o que sabemos destes seres: não sabemos o que são, mas sabemos razoavelmente bem o que eles não são, e o termo “alienígena” refere-se exatamente a isso: quer dizer estranho, forasteiro, desconhecido, estrangeiro.
É mais ou menos isso… Leo Breno Martins

Eu não acreditava que o suposto UFO visto pelo casal na zona rural tivesse relação direta com a procedência e captura das criaturas, mas com a confirmação(?) da queda de um provável UFO presenciada pelo piloto de ultra-leves parece que, no mínimo, “algo a mais” nos céus já estava realmente sendo esperado pelos militares da região, com vigílias e até uso de holofotes aéreos. Prudentemente, ninguém arrisca uma afirmação definitiva sobre a orígem destes seres, principalmente pelas características físicas relatadas pelas testemunhas, que diferem do ‘tradicional’ para serem rotulados automaticamente de ETs. Na minha opinião, SE REALMENTE CAIU, POUSOU OU FOI DERRUBADO UM DISCO VOADOR EM VARGINHA, a probabilidade das criaturas serem extraterrestres é bem positiva. Caso contrário, vão haver apenas suposições e mesmo assim em off, pois qual pesquisador teria coragem (e provas) de dar uma entrevista aventando a possibilidade de orígens intraterrenas ou dimensionais? Parece mais viável e confortável a hipótese extraterrestre, afinal todo o mundo já ouviu falar em ufos e ets e é justamente isso (no entendimento da população) que os Ufólogos pesquisam. Vou lhe confessar uma coisa: — Sou Ufologia Científica desde criancinha, mas analisando os fatos estranhos acontecidos em Minas, com o surgimento de várias entidades biológicas indefinidas, antes, durante e depois de Varginha, com características físicas diferenciadas do habitual, tudo acompanhado com ondas ufológicas, ets, militares, mortes indefinidas de animais e coisas bizarras, depois, em 1997, outras entidades totalmente indefinidas (o Chupacabras), algo além das possibilidades científicas realmente pode ter acontecido;Para mim, ficou a nítida impressão de que algum portal, buraco, porta, vão, ou sei lá que tipo de anomalia (causada por humanos ou não) se abriu (ou foi aberto) e por esta brecha estes seres escaparam, foram soltos ou simplesmente ‘pularam’, saíram para cá;Provavelmente isto seja apenas uma bobagem de minha parte, não há como investigar algo desse tipo agora, porém, devemos lembrar que apenas algum tempo antes de Varginha, surgia o Chupacabras em Porto Rico, de maneira tão ou mais misteriosa, igualmente acompanhado de ondas ufológicas e de militares, se espalhando por outros lugares.Não estou comparando o modus operandi destas criaturas e sim as circunstâncias em que surgiram e as características físicas insólitas do que estávamos acostumados a pesquisar. Quem sabe no futuro algo se encaixe! Por enquanto, devemos reconhecer e apoiar o esforço e capacidade dos pesquisadores envolvidos direta e indiretamente no caso Varginha e torcer para que não se transforme em outro Roswell, mas para isso tem de haver o reconhecimento oficial e público das autoridades, caso contrário vai tudo ficar em gavetas, livros, vídeos, sites, arquivos pessoais de computador e na memória das pessoas. Isso não pode acontecer, de novo não… Paulo Rogério Poian

Em se tratando de opinião pessoal, considero que os fatos apurados demonstram claramente que as criaturas capturadas procederam de uma nave extraterrestre avariada que caiu nas imediações da cidade. Segundo as investigações realizadas, havia uma alta concentração de UFOs no Sul de Minas, que teria sido detectada por sistemas de satélites norte-americanos durante a época das ocorrências, sendo que o governo brasileiro teria sido alertado para a eminência de uma eventual queda de algum deles. Entrando no campo da especulação, penso que a nave pode, perfeitamente, ter sido alvejada por algum sistema de defesa espacial. Há inclusive, uma filmagem bastante conhecida no meio ufológico, que evidencia ações desse tipo. Ela foi obtida em Setembro de 1991, enquanto a nave espacial Discovery cumpria a missão Space Shuttle. Ao sobrevoar o Oceano Índico, com uma trajetória em sentido à costa da Austrália, vários UFOs foram flagrados pelos astronautas da missão. Num dado momento, um míssil semelhante a um feixe de energia é disparado contra um dos UFOs, que bruscamente altera sua trajetória para não ser atingido, saindo da órbita do planeta rumo ao espaço exterior, a uma velocidade vertiginosa. Cinco anos mais tarde, esse mesmo sistema pode ter sido acionado e o UFO presente no espaço aéreo daquela região mineira, não ter tido a mesma sorte. Daniel C. Carneiro

Em Varginha “caiu” uma nave extra ou intra terrestre, de um planeta estranho, onde os seres ainda andam nús (parece) (o “pipi” ,etc., ficam expostos?) (parece que com toda aquela viscosidade não seria mesmo possível usar uma veste!!) Por esse fato e também pela descrição da nave pelo sitiante local (que parecia um microônibus soltando fumaça ou com “motor rateando”), vê-se mesmo que o “povo” desse planeta ainda está no início de suas viagens espaciais, pelo baixo nível tecnológico (lógico que ainda enormemente maior que a nosso…) É interessante fazer uma comparação, de situações: Por exemplo, se um astronauta, daqui uns anos, em plena época de viagens espaciais, tivesse problemas com sua nave e a mesma caísse num local habitado, em outro planeta, coitado, estaria na mesma situação do ET de Varginha: Um “bicho” estranho e esquisito perdido numa terra estranha com gente provávelmente esquisita… Francisco A. Pereira
Os E.T.s de Varginha são o “caso Roswel” brasileiro!
Acobertamento do governo e tudo o mais! Que pena! Eu pensava que os goverantes brasileiros fossem mais inteligentes. Não são. São apenas crianças assustadas e contaminadas pelo pânico xenofóbico estadunidense.
Qual a origem? São duas as melhores hipóteses:
Ou são extraterrestres ou então tentativas de se criar soldados manipulados genéticamente (os dois seres seriam “ainda crianças” que escaparam do centro de treinamento!). Inajar Antonio Kurowski

O que aconteceu em Varginha, foi mais um bem sucedido ato de acobertamento militar, realizado por militares brasileiros e amaricanos em conjunto. Para quem pesquisa ou simplesmente lé a fundo acobertamento militar americano e seus projetos de desinformações mundo afora da ufologia, percebe nitidamente a ação deles. São rapidos, precisos, e com uma boa dose de sadismo bastante maquiavelico, quando se trata em pressionar pessoas. Ou será que os prisioneiros iraquianos de Abugrai (a prisão iraquiana) não mostra qual o tipo de tratamento que as forças armadas americanas impõe ao mundo? Não aqui inocencia. Claudio Lins Quintans

Eu tenho a teoria de que as meninas que afirmaram ter visto o ET realmente o viram, mas depois o ser se desmaterializou antes que os bombeiros pudessem pega-lo.
Acho que esses seres realmente vem de outro planeta, mas apezar de estarem encarnados os seu corpos não são totalmente fisicos, ou seja, eles são de uma dimensão mais sutil e não podem ser vistos pelos humanos em seu estado natural mas podem se materializar (se tornar visivel para nossa dimensão) utilizando-se de algum processo desconhecido para nós.
Dessa meneira eles podem fazer o que vieram fazer sem serem vistos. No caso de Varginha talvez tenha acontecido algum imprevisto que fez com que o ET ficasse visivel sem a sua vontade. Por isso ele se escondeu naquele terreno vazio entre os arbustos até que os seus colegas ETs resolvessem o problema.
Talvez você não acredite mas eu ja vi um ET dessa especie bem no meu quarto, com a mesma cor e com aquelas coisas na cabeça, acho que ele era um deles só que desencarnado ou em projeção astral. Ele colocou a mão na minha nuca e se afastou quando eu percebi sua presença. Quando eu falo que vi não quero dizer que foi com os olhos, eu estava deitado de costas para ele e o percebi pela minha mediunidade.
Depois disso pesquisei na internet e percebi que a maioria dos retratos falados dele (o de Varginha e mesma especie do que eu vi) são meio mal feitos, desproporcionais e com umas pelotas na cabeça ao inves das listras em alto relevo que vão da frente at´´e a parte de tras da cabeça começando mais estreitas e talvez mais baixas na frente, mas encontrei um bem feito que parece muito com o que eu vi, era uma suposta foto de um Grey mas que foi modificada para ficar com a cor mais avermelhada e que recebeu as tais listras na cabeça. Ficou bem parecido. 
le.bahl@bol.com.br

O problema é saber como e quando que algo pode ser realmente classificado pelo termo “extraterrestre”. E ainda mais como “entidade biológica”! E se fosse um andróide? Este é o receio/cuidado tomado pelo Ubirajara. E creio que o melhor a se fazer é utilizar alguns dos termos que ele mesmo utilizou em sua obra: “seres desconhecidos” ; “estranhas criaturas” ; etc.Creio que falar que “não era deste mundo” é ainda muito prematuro. Sobre afirmação vinda de militares, sem comentários. Não são infalíveis e também falam besteira. Creio que se o militar falasse alguma “besteira” do tipo: “achamos que a criatura seja um robo inteligente” ou “a criatura era um espécime que fugiu do laboratório”, a ufologia em peso iria criticar o cara mas, como ele usou o conveniente termo “extraterrestre” não. A melhor opção é ligar os acontecimentos que antecederam os fatos como bem fez o Ubirajara (tempestade solar; satélite com problemas; NORAD; acordo com NASA; revelações astronômicas e cosmológicas, etc) e as “coincidências” pertinentes e sacar algumas coisas mais evidentes. Creio que o último parágrafo do livro do Ubirajara Rodrigues diz tudo sobre a atual polêmica: “Eis, portanto, a conclusão: um amontoado de interrogações. Que só fariam perderem-se inúmeras folhas de papel. Desgaste e gasto desnecessários.Nada se pode concluir, como nunca se pôde, de qualquer caso ufológico. Nem que seja realmente ufológico. Será o Caso Varginha um marco inicial para a premente e breve revelação do maior enigma da Humanidade? Será o Caso Varginha um enorme festival de enganos? Será um simples amontoado de coincidências, sem causas de interesse notável? O caso já se encerrou? Não! Contam-se ainda apenas fatos isoladamente contidos num bem mais complexo enredo. O que mais será descoberto e revelado em torno de seus eventos, testemunhas, informantes? Novas fotos, fitas de vídeo? razões? O atual paradeiro de material comprobatório? Saberemos a origem dos seres? Quando? De que forma? Em que momento? Antes que o papel acabe….” – O Caso Varginha – Ubirajara Rodrigues – Biblioteca UFO (CBPDV). Rogério Chola

Resumidamente, sem provas, sem definições. Tudo que restou foram dúvidas, dúvidas e mais dúvidas. Explicar o que para a opinião pública sem poder comprovar? Fica o dito pelo não dito, mais uma vez. Com um caso desses nas mãos e não podemos convencer os céticos. É lamentável que não consigamos montar o quebra-cabeças em definitivo, pois faltam peças chaves para isso.Vamos aguardar se podem surgir ainda mais alguma coisa que nos ajude a nos aproximarmos do que efetivamente ocorreu em Varginha. Por hora, mais um grande caso para os anais da Ufologia. Até que chegamos perto, porém manda a prudência que sejamos bastante fiéis ao que temos am mãos, ou seja quase nada em termos de provas. Só evidências ou depoimentos não dá para fechar o caso de forma definitiva. É lamentável. Antonio de Padua Faroni

Apesar de não ter pesquisado o caso Varginha, pois me encontrava na mesma época pesquisando uma Onda de OVNIs em Joaçaba (SC), conheço pessoalmente os pesquisadores envolvidos no caso, principalmente o Ubirajara Franco Rodrigues e Vitório Pacaccini. Li as obras publicadas por ambos os escritores/pesquisadores e respeito a opinião abalisada dos mesmos. Lembro aos interessados que a Ufologia, como qualquer outra ciência é rica em casos paralelos e é apenas questão de tempo encontrarmos algum caso semelhante, isso se não levarmos em conta alguns pormenores também pesquisados na mesma época onde novamente foram testemunhados criaturas peludas de olhos vermelhos, que longe de serem um mito, podem ter relação com os “ETs de Varginha”, até se provar o contrário. Carlos Alberto Machado

Sou um daqueles que não acredita na origem extraterrestre das criaturas capturadas em Varginha. Nenhum oficial das forças armadas pode assegurar isso com certeza, talvez ninguém no planeta possa. Também não vi até agora nenhuma evidência que demonstre uma queda de algum artefato alienigena. Um evento dessa natureza seria dificil ocultar, a área atingida seria rapidamente localizada (haja visto a quantidade de pesquisadores que estiveram prontamente na cidade), ainda mais por ser tão próximo aos grandes centros urbanos. É inequivoco que criaturas estranhas foram capturadas, mas para mim os verdadeiros extraterrestres nunca se envolvem em acidentes, como nós conhecemos. Quedas e corpos mortos por aí não combinam com o grau atingido por verdadeiros Ets. Para mim esses seres de Varginha eram intraterrenos ou provenientes de algum portal dimensional aberto inadvertidamente por eles. Haja visto que muitos seres extraordinários tem surgido com mais frequência ultimamente, entretanto raramente encontram-se indicios palpáveis de suas presenças. A dedução mais apropriada é de que tais seres ficam num “transito interdimensional”, (nem por isso menos material) mas acabam retornando a sua origem após algum tempo. Creio que muitas vezes é mais fácil classificar tudo o quanto não conhecemos como extraterestre, porém o problema pode ser muito mais grave e perigoso (até milenar) e isso as autoridades talvez jamais reconheçam, apesar de seus lideres estarem bem conscientes disso.Carlos Alberto Millan

Varginha es caso ovni más importante de toda la historia en Latinoamérica y uno de los principales del mundo, quizás sólo superado por el incidente Roswell. Cuando se descubra la procedencia de los seres de Varginha, se descubrirá la procedencia del Fenómeno OVNI, y lo que es más importante, cuál es la Verdad que está detrás de tan enigmático Fenómeno. Carlos Alberto Iurchuk-Argentina

“Fui a Varginha em companhia do Dr. John Mack e lá estive com Pacaccini e Ubirajara Rodrigues.
Entrevistamos as meninas e fiz uma anamnese mais atenta a Liliane.
Depois de lá estar no local, ouvir os relatos das testemunhas e dos investigadores voltei com as seguintes impressões:
1-Realmente aconteceu algo muito importante do qual, aparentemente, recuperamos pouco.
2-Houve um lapso de tempo entre o momento da saída da meninas, o encontro com o ser, e a chegada a casa.
3-Creio que houve abduções anteriores ao acontecimento e pelo menos de Liliane na hora do encontro.
4-A tipologia do ser não é comum nos encontros de terceiro grau mas me é muito conhecida em relatos de abduções em regiões proximas a cavernas.
Essa hipótese creio que não foi investigada e a memória dos acontecimentos deve seguir intacta na mente das meninas.
5-O ser me parece uma Entidade Biológica criada talvez por intraterrenos alienígenas ou…….
Houve em simultâneo algum acontecimento que envolveu a participação do Exército e por isso houve atividades de acobertamento. O que exatamente não sabemos e não sei se iremos saber.
6-Se houve a participação de seres envolvidos em abdução, a criatura foi deixada não por acaso mas com algum propósito.
Se havia alguma atividade de MILAB e a criatura escapou, foi por isso rapidamente capturada.
Em sintese: Faltam muitos elos importantes para entendermos o caso Varginha mas isso não tira a importancia do acontecimento. Sigo com a sensação de uma mistura de um episódio alienigena e MILAB superpostos.” Gilda Moura

Tomei conhecimento do caso através do programa Fantástico no início do mês de fevereiro, mediante participação do amigo Ubirajara Rodrigues. Posso dizer, que de início, não levei muito a sério a idéia de uma explicação ufológica para o incidente. Mas quando estive pela primeira vêz em Varginha esta minha posição começou a se modificar. Depois de conhecer testemunhas civis e militares, que estiveram frente a frente com as criaturas capturadas, e de manter outros contatos, inclusive através de ligações telefônicas com outros envolvidos com a história, apesar de não podermos evidentemente provar, passei a defender a idéia, que estivemos envolvidos com seres de natureza extraterrestre, que por razões ainda não bem compreendidas, foram “espalhados” pelo sul do Estado de Minas Gerais, provavelmente oriundos de um UFO, que foi abatido, ou simplesmente se acidentou, caindo na região. Uma das testemunhas militares que tive contato direto, recebeu de seu próprio comandante, um militar da Escola de Sargento das Armas (ESA), a informação da natureza extraterrestre das criaturas. Marco Antonio Petit de Castro

Quando cheguei à redação do programa Fantástico na tarde de 30 de janeiro de 1996, encontrei uma mensagem na tela do computador: a pesquisadora Irene Granchi, a maior especialista brasileira do Fenômeno UFO, telefonara para informar o aparecimento de duas estranhas criaturas na cidade de Varginha, no sul de Minas Gerais. Na área de Ufologia, dona Irene representa aquilo que os jornalistas chamam de fonte quente. Bem informada, dinâmica, investigadora experiente, ela por diversas vezes me colocara na trilha de boas reportagens. Isso sem falar do encanto pessoal. Quando eu precisava de uma orientação, uma sugestão de entrevistado, um comentário sobre algum novo caso relacionado aos chamados discos voadores, a primeira idéia que me ocorria era ligar para dona Irene. E foi a primeira coisa que fiz naquela tarde, depois de ler a mensagem na tela. A história que ela me contou era extraordinária: três moças tinham visto um ser bizarro. Outra criatura semelhante, capturada por militares, teria passado por um hospital da cidade. O caso fora abafado pelas autoridades. O relato tinha todos os contornos das teorias conspiratórias que inspiram filmes como os da série Arquivo X. Mas dona Irene apostou: “Quem me passou a história foi o advogado Ubirajara Rodrigues. Ligue para ele com urgência. Ubirajara é um pesquisador muito sério. Confio nele”. Eu lembrava de ter visto Ubirajara numa edição especial do Globo Repórter, exibida em setembro de 1993. Naquele programa, ele apresentou o chamado Caso Baependi ─ a fascinante experiência vivida em 1979 pelo fazendeiro Arlindo Gabriel dos Santos, que durante uma caçada assistiu ao pouso de quatro objetos voadores, viu tripulantes humanóides e, ainda segundo seu relato, viajou numa dessas naves. O grupo de ufólogos comandado por Ubirajara examinou o local do incidente e encontrou o embornal de Arlindo misteriosamente coberto por caracteres indecifráveis. Ubirajara teve o cuidado de confeccionar um molde em gesso de uma das marcas do pouso daquela que seria a nave maior. A impressão que guardei dele, ao ver aquela reportagem, foi a de um investigador meticuloso, articulado e lúcido. Mais tarde, ao conhecê-lo e acompanhá-lo na pesquisa do que consagrou-se como Caso Varginha, aquela impressão se confirmaria. Liguei para Ubirajara logo depois de conversar com Irene Granchi. Em poucos minutos, ele relatou as descobertas que fizera sobre o avistamento e a captura das duas criaturas aparentemente extraterrenas. Combinamos um encontro em Varginha. Na manhã seguinte, bem cedo, peguei a estrada com uma equipe de reportagem do Fantástico. Não poderia saber, mas eu estava prestes a presenciar o desenrolar de uma história que viria a ser conhecida no mundo inteiro. E que, até hoje, por vezes me tira algumas horas de sono ─ eu estive lá. Vi. E ouvi o necessário para me convencer da magnitude daqueles acontecimentos. Em Varginha, Ubirajara me levou à casa de Liliane e Valquíria. Onze dias depois do fato, elas ainda se mostravam muito impressionadas. Repetiam toda a história, com riqueza de detalhes, sem cair em qualquer contradição. Era evidente que não estavam mentindo. Elas viram aquela criatura agachada perto de um muro, registraram com precisão os olhos grandes, vermelhos, as protuberâncias na cabeça, o corpo de um marrom escuro, a pela lustrosa, “como se estivesse coberta de graxa”. Kátia, a terceira testemunha, chegou minutos depois. Sugeri que fôssemos todos ao local do avistamento para gravar as entrevistas. Liliane se recusava a voltar àquele lugar. Chorou, ficou nitidamente assustada, mas foi convencida pela mãe, dona Luíza, que insistiu: “Minha filha, você tem que superar isso”. Chegamos ao terreno no Jardim Andere onde o fato se deu e filmamos os depoimentos das três. Elas contaram a mesma história, sempre idêntica, inclusive nos detalhes que não tinham sido percebidos, como o nariz, ou a boca da estranha criatura. Estas eram coisas que elas não tiveram tempo de registrar no intervalo de poucos segundos entre o momento em que puseram os olhos naquele monstro e a fuga, em desespero. Àquela altura eu já estava contaminado pelo Caso Varginha. Depois viriam outros testemunhos. Médicos e funcionários dos hospitais por onde ao menos uma das criaturas teria passado relatavam estranhas movimentações por aqueles dias. Moradores da cidade afirmavam ter visto caminhões militares passando pelas ruas. Controladores de vôo diziam que a região fora visitada por objetos aéreos não identificados ─ e isso era corroborado por testemunhas, várias delas. Lembro-me de um médico, que não quis se identificar para as câmeras do Fantástico, declarar ter visto, enquanto dirigia numa estrada, “uma estrutura imensa, metálica, com luzes vermelhas, brancas e amarelas”. Questionado sobre a natureza do que viu, o médico completou, sem hesitar: “Eu vi uma nave. Posso afirmar isso, era uma nave”. Apareceram informações seguras de que essa movimentação anormal no espaço aéreo estava sendo cuidadosamente monitorada por radares. Soube-se também que, antes do caso estourar nos jornais, a Escola de Sargento das Armas (EsSA) ─ a unidade militar mais próxima a Varginha, na vizinha cidade de Três Corações, para onde uma das criaturas teria sido levada ─ fazia varreduras noturnas com holofotes, como se procurasse algo no céu. Um informante garantiu ter visto destroços metálicos na carroceria de um caminhão, estacionado dentro da tal escola, sugerindo que alguma coisa muito estranha (uma nave acidentada, como em Roswell?) fora recolhida numa operação sigilosa. E o que diziam as autoridades sobre tudo isso? Negavam, naturalmente! Às vezes, com argumentos contraditórios. O comando da EsSA atribuiu a grande movimentação do dia 20 de janeiro à cerimônia de recepção dos novos calouros daquela unidade militar. A alegação seria perfeita, exceto por um detalhe: a tal recepção ocorreu uma semana depois, no dia 26 de janeiro! Essa não foi a única contradição do Caso Varginha. Houve muitas outras, a confundir uma história quase mitológica, mas evito aqui roubar do leitor o prazer de descobri-las no minucioso relato que tem agora em mãos. O leitor vai desvendar nestas páginas muitos elementos aparentemente bizarros: a misteriosa morte de um agente policial envolvido na captura de um dos seres. O piloto de ultraleve que conta ter visto soldados do Exército recolhendo destroços metálicos num terreno perto da estrada que liga Varginha a Três Corações. Vai ler o relato de uma dona de casa que afirma ter observado uma criatura semelhante àquela descrita por Kátia, Valquíria e Liliane. A autoridade civil que incentiva os pesquisadores a prosseguir, porque “o caso aconteceu mesmo”, como alegam seus porta-vozes. O casal que observou uma nave, segundo eles, “do tamanho de um micro-ônibus”, movendo-se lentamente a baixa altitude, expelindo uma espécie de fumaça, “como se estivesse em dificuldades”. Conheci muitos dos personagens que aparecem nesta obra. Mas minha experiência mais espantosa, seguramente, foi ouvir aqueles que, a meu ver, são os personagens maiores do Caso Varginha: os militares que afirmam ter participado da captura e posterior transferência das criaturas daquela cidade por determinadas instalações militares. Muitos questionaram os investigadores deste caso por não admitir o silêncio em torno da identidade dessas testemunhas. Levantaram-se dúvidas até mesmo sobre a existência delas. O que eu posso afirmar é que elas existem, sim. Apresentaram-nos suas credenciais e só aceitaram contar o que sabiam desde que seu anonimato fosse preservado. Manter o sigilo de uma fonte, nesses casos, é uma lei para qualquer investigador decente. As testemunhas militares do Caso Varginha confiaram nos pesquisadores e correram riscos ao detalhar a seqüência dos fatos ─ citando inclusive os nomes dos oficiais que teriam comandado as operações e ordenado o sigilo em torno destas. Nada tinham a ganhar com essa atitude. Prestaram suas declarações unicamente por acreditar que um fato de tamanha importância não deveria ser ocultado da opinião pública. Estive diante de duas dessas testemunhas e assisti ao depoimento gravado em vídeo de uma terceira. As informações são detalhadas, se completam, se encaixam perfeitamente na cronologia estabelecida por Ubirajara e por outros pesquisadores que a ele se uniram depois que o caso estourou. O Caso Varginha, apesar do esforço empregado até agora em sua elucidação, está longe de ser um caso perfeito, concluído. Onde estão as fotos das supostas criaturas? Não existiriam vídeos? Seria possível acobertar com tanta eficácia um acontecimento que teria envolvido um tão grande número de pessoas? É possível dar crédito a tamanho absurdo? Onde estão as provas? Bom, meu caro leitor, se você me permite, deixo uma sugestão: leia as linhas que se seguem, experimente a aventura que autor viveu, acompanhe de forma imparcial o fluxo dos acontecimentos que se sucederam em Varginha. Depois responda: se fosse você o investigador, abandonaria esse caso? Para mim, como jornalista, a oportunidade de ter acompanhado as investigações de Ubirajara Franco Rodrigues ─ que hoje considero um amigo leal e fraterno ─ foi uma lição de honestidade e competência. Este livro revela que ele soube apurar, pesar e confrontar as informações, dando-lhes o valor exato, sem cair no erro de divulgar versões como fatos consumados, muito freqüente na pesquisa ufológica. A rigor, ele nem mesmo afirma categoricamente que os acontecimentos de Varginha tenham origem ufológica, por mais indícios que tenha encontrado disso. Ubirajara, com sólida formação acadêmica e possuidor (como bom advogado que é) de um raciocínio lógico, ordenado, afiado, nos concede finalmente o relato definitivo daquilo que, até o presente momento, pode ser conhecido a respeito de um caso que correu o mundo e que ainda pode apresentar desdobramentos de alcance inimaginável. Quando estive pela primeira vez em Varginha, assisti, na emissora coligada à Rede Globo no sul de Minas Gerais, a EPTV, a uma entrevista em que o autor dizia, textualmente, o seguinte: “Nós não vamos abandonar o caso. Todas as informações são bem-vindas”. Se eu conheço Ubirajara, ele não vai parar por aqui. Luiz Petry

Os comentários estão encerrados.