Listas de Debates - Participe

    starbrothers

    forum_ufulogia

    ufobras

    forum_exobiologia

    forum_intaterrestres

     

     

CONSOLIDANDO O ESTUDO DOS UFOS

SUGESTÕES

O presente trabalho é uma iniciativa da Socex-Sociedade Excelsa (socex.ufobras@gmail.com), cujo crédito deverá ser citado em eventuais publicações na mídia escrita, falada e televisada, assim como sites de Internet.

O QUE FALTA PARA A CONSOLIDAÇÃO DO ESTUDO DO FENÔMENO UFO?

1- Tudo. Estamos ainda no princípio, desde há cinqüenta anos. Precisamos urgentemente de aplicar MÉTODOS, metodologia científica, portanto contar com os modos e o conhecimento das ciências estabelecidas.

2- União da classe. Entidade representativa, pois isso é inevitável. Discussões relevantes nos eventos ufológicos. Uso de metodologia nas pesquisas. Preservação do passado histórico da ufologia. Continuação de trabalhos exemplares como os da SBEDV, APEX, CISNE, etc. Com a morte de seus criadores os grupos estão desaparecendo. Precisamos urgentemente de uma Enciclopédia Ufológica Nacional e isso deve ser feito em conjunto por vários grupos e pesquisadores com responsabilidade. Se não nos organizarmos nesse sentido não chegaremos lugar algum.

3- A meu ver, os ufólogos deveriam parar com a idéia amadora, de utilizaram a expressão ufologia científica ou ufologia mística. Um fenômeno, ainda mais desconhecido, não é místico, nem científico. Ele é o que é. Então, tentar fazer da ufologia outra cadeira da ciência, é limitá-la em si mesmo. Assim como tentar fazer dela uma religião, é outro equivoco. Devemos respeitar o sagrado de todas as religiões, parando com o absurdo de transformar livros sagrados, em diários de bordo de extraterrestres que poderiam ter nos visitado no passado. Assim, o estudo do fenômeno UFO, que deveria ser feito levando em conta todas as áreas do conhecimento humano, independente de científico ou religioso, porém, sem que com isto estejamos sempre vendo ets presentes nestes contextos.

4- Mais alguns séculos de pesquisa.

5- Um fundo financeiro, equipamento apropriado e equipe científica especializada com tempo integral para a pesquisa.

6- Uma maior união dos grupos ufológicos.

7- Fatos concretos.

8- Em termos Científicos:
– Conceber bases maiores para a Exobiologia (pois não deve estar restrita à bioquímica/vida baseada na molécula do Carbono), o que depende de uma descoberta da astrobiologia no campo da comprovação da vida extraterrestre, seja fora do planeta ou na Terra, em material de penetração atmosférica, para que sejam estabelecidas bases de comparação entre as características da vida terrena e da vida extraterrena e assim compreender melhor o que é a vida e como ela surge e se manifesta;
– Maior compreensão sobre o deslocamento e sistema de propulsão dos DV’s (ou através do estudo/captura de exemplares de DV’s – o que está sendo feito), e consequente construção e aplicação dessa tecnologia no nosso dia-a-dia.
Em termos Filosóficos:
Quebra de Paradigmas – Estabelecimento de um GRANDE PLANO MUNDIAL PARA A ESCLARECIMENTO E CONVENCIMENTO DA HUMANIDADE – Para Quando e Como? E a organização na Sociedade, dos pesquisadores de ufologia em torno dessa Divulgação intensa, acesso aos meios de comunicação e divulgação dos documentos oficiais já disponíveis, convocação de autoridades (políticas/militares ou científicas), para confirmação de seus conhecimentos em público. Chega de atitudes/ações “isoladas”. É preciso uma grande ação coordenada.
Sugestão de desuso do termo “Fenômeno UFO”, pois o mesmo denota por si só, algo desconhecido, de caráter duvidoso (a ser comprovado), misterioso, e assim trazê-lo para a nossa realidade, pelo termo “Evidência UFO”, e posteriormente quando da aplicação do PLANO DE ESCLARECIMENTO MUNDIAL, “Comprovação UFO/DV”, pois para mim os DV’s já são realidade concreta e atuante há MUITO tempo.

9- Uma rede de comunicação mais coesa, com radioamadores ufólogos/ufófilos; um site oficial que centralize as informações em cada pais ou “região ufológica”.

10- Falta seriedade por parte dos próprios ufólogos.

11- Primeiramente os ufólogos, acima de tudo, os mais “experientes”, reverem seus conceitos sobre o fenômeno.

12- Ser reconhecido como ciência oficial. Como não o é, e provavelmente não vai ser, creio que não irá se consolidar. A não ser que um UFO pouso bem em frente da Agência BBC de Londres, ou da CNN.

13- Uniformidade nas linhas de trabalho dos diversos pesquisadores, que exista uma única linha de pensamento, a de esclarecer o fenômeno.

14- Transparência.

15- Ufólogos com caráter em querer ajudar este estudo.

16- Um fato concreto, que apresente provas irrefutáveis e que não possa ser ocultado.

17- Honestidade – Dignidade, Respeito, Postura e Caráter – por parte de certos militantes da Ufologia.

18- Maior credibilidade no que estão fazendo sem se preocupar em provar nada à ciência por parte dos pesquisadores. Esta ciência cartesiana muito nos atrasa. Tentar provar o subjetivo é muito difícil talvez impossível.

19- Um pouso de naves na porta da Casa Branca.

20- Reconhecimento pelos governos e instituições religiosas.

21- Conseguir com que os governos admitam a existência do fenômeno e como conseqüência divulguem os resultados de suas pesquisas (se é que conseguiram algum resultado melhor do que pesquisadores civis)

22- Um contato de 3º grau público.

23- O desenvolvimento espiritual das pessoas.

24- Apoio do governo.

25- O fim do acobertamento.

26- Respeito dos órgãos governamentais e união de todos os ufólogos do mundo!

27- Alguma prova publica.

28- Alguém, que não me lembro, citou na lista a criação de uma ONG que reunisse em sua base a maior quantidade de ufólogos possível. Acredito que com esta força definida, as ações desenvolvidas teriam maior alcance e exposição. Talvez desta forma, com o grande público tomando conhecimento de tudo o que a ufologia desenvolve, os governos não tenham tanta base para gerar o descrédito e a desinformação. Já diz um velho ditado: “A União Faz a Força”.

29- A consolidação do fenômeno ocorrerá perto do fim, ou seja, daqui a aproximadamente 50 anos. Até lá não vejo como se consolidará. Devemos, entretanto, continuar estudando e aprendendo, porque aos poucos entenderemos mais nossos criadores.

30- Uma pesquisa mais séria firmada na ciência e despreocupada com o seu aparecimento na mídia.

32- Uma ação mais unida e coerente por parte dos pesquisadores. Infelizmente, visto o recente problema com a senhora Linda Moulton Howe, até mesmo no campo internacional, os ufólogos não têm falado a mesma língua. A Ufologia brasileira teve que gritar muito para que finalmente, essa senhora e seu protegido fossem denunciados como o que são, uma fraude. Temos que manifestar a mesma união diante da imprensa, sempre divulgando os casos mais significativos, como a Noite Oficial de 1986 ou a Operação Prato de 1977, e manter um contínuo esforço de esclarecimento perante a opinião pública, para enterrar de uma vez o estigma de “coisa de malucos”.

32- União, Paz e Amor entre os ufólogos. Nada de ódio ou rancores.

33- Falta tudo, ainda estamos engatinhando no campo ufológico.

34- Acredito que falta dinheiro. Sem ele, a pesquisa fica muito difícil.

35- a) Deixarmos de ver só o tridimensional, próprio da racionalização humana.
b) Procurarmos conhecer as manifestações de Naves e de Seres Diversos, em outras dimensões.
c) Passarmos a Sentir a presença de ambos e aprendermos a acessar a comunicação com…
d) Desenvolver as propriedades parapsicológicas Clarividência, Telepatia e outras.
e) Formação de Grupos de Estudos Especiais, para tais desenvolvimentos.

36- Seriedade, egos menos super desenvolvidos, humildade, compartilhamento, menos sensacionalismo.

37- A amostragem (casuística) ainda não é significativa para os leigos. Falta uma aproximação em larga escala, para que não se tenha dúvida da existência do fenômeno. Aí sim, poderá ser consolidado o estudo.

38- A adoção de métodos objetivos e científicos, de fato, não apenas o “cienfiticismo” não especializado – embora salutar e importante até aqui – que existe hoje, exercido por lutadores autodidatas.

39- Um maior critério na divulgação de certos fatos do fenomeno e uma padronização melhor nas pesquisas para que todos pesquisadores falem uma mesma lingua com o máximo de critério e seriedade possivel.

40- A consolidação já está ocorrendo. Há uma evolução constante do estudo, não pode haver desistência do propósito. Os ufólogos são na sua maioria constituídos de autodidatas, porém, com formações profissionais distintas, talvez aí esteja situada a riqueza que nos favoreça, porque somos afinal ecléticos, mais flexíveis, daí também a pluralidade de teorias, de explicações, e também de divergências, algumas até mesmo homéricas, não somos em absoluto, rígidos e parametrados como os cientistas.

41- Sistematização e critérios científicos, eliminação do ruído causado por pessoas que “acham” ou “acreditam”. Da maneira que está, a ufologia não passa de um samba do crioulo doido, uma coisa folclórica e aberta a todo o tipo de intervenção inconsistente.

42- Uma das coisas é considerar bastante as declarações do Carlos Reis.

43- Casos bem documentados com testemunhas que queiram falar, e não pessoais que tiram fotos e pedem sigilo.
Uma prova incontestável, similar àquela do filme “O dia em que a Terra parou”, onde uma nave pousa em praça pública e seu tripulante fala à nação. E ainda assim, haveria a dúvida se aquilo seria real ou não. O ser humano é limitadíssimo em suas percepções e discernimento.

44-O estudo já está consolidado; e na minha opinião o que falta são apenas as respostas.

45-Falta que um extraterreste seja entrevistado pelo Sérgio Chapelin no FANTÁSTICO.

46- Ciência, metodologia.

47- Empenho. Ultimamente tem aparecido determinados grupos em meio à comunidade ufológica que em nada contribuem para a elucidação do fenômeno Ufo e muitos dos mais antigos pesquisadores já não tem o mesmo entusiasmo em pesquisar como outrora. Será necessária toda uma reestruturação para a formação de novos pesquisadores. Algumas iniciativas já tem acontecido como é o caso da Socex.

48- Acredito que, provas (físicas) mais contundentes, maior união dos pesquisadores e a aceitação no mundo científico.

49- Um maior avanço da Ciência e do ser humano, falta intercâmbio com ufólogos do resto do mundo, e com militares de países em que há abertura para o tema. E infelizmente muitas intrigas e mistificações.

50- Falta a oficialização deste estudo por parte da comunidade científica.

51- Não creio que devamos nos ocupar do estudo do fenômeno, concorrendo com setores da inteligência melhor preparado para isso, até por conta do apoio que tais setores possuem dos Estados (países desenvolvidos) e dos meios acadêmicos comprometidos com pesquisas avançadas. A questão UFO é uma questão de direito civil, no plano internacional. Vejo, sim, a necessidade de levar o tema aos fóruns sociais, buscando exigir da autoridade constituída e que tem sistematicamente negado a informação, que a torne pública e transparente a investigação que há décadas vem sendo feita, inclusive com a anuência das maiores tradições religiosas do planeta. A investigação civil, ao competir com a “pesquisa oficiosa”, valida, sim, a política de acobertamento e mais tarde será utilizada precisamente para colocar de lado os pesquisadores civis, garantindo ao “sistema de controle” uma total manipulação da situação por ocasião de uma inexorável evolução do processo de contato que está em curso cada dia mais acelerado. UFOlogia é uma questão política e como tal deve ser tratada. a UFOlogia deve deixar de lado a idéia de ser “ciência” para ser um “partido” que luta pelo direito à informação por parte do cidadão planetário.

52- Credibilidade perante órgãos científicos e o mais importante, união e respeito entre os próprios estudiosos.

53- Os estudos são feitos a cada avistamento ou relatos, mas os interesses corporativistas humanos nesse planeta,acobertam muitos fatos, lançando junto à opinião pública desinformação, que acaba prejudicando o levantamento real das situações casuísticas.

54- Respeito dos que não crêem para que não se caia no ridículo.

55- A criação de alguma entidade que possa compilar os casos e ajudar a dirigir as investigações. Sem citar nomes, li outro dia que um ufólogo fez uma vigília em um campo de futebol e viu duas sondas !!! Não há interesse em muita gente no nosso meio de excluir causas naturais que explicariam varios fenômenos. Sem uma entidade maior, reitora da metodologia investigativa, não vejo como poderemos evoluir. Isto sem falarmos nas legiões de picaretas que assolam o meio.

56- Mente aberta. Ou mais aberta. Abertura para compreensão do Cosmos.

57- As pessoas pararem de tentar banalizar, um estudo que é de grande importância para o mundo, fazendo com que as pessoas acreditem e não fiquem achando que quem estuda estes tipos de fenômenos são malucos ou coisa parecida.

58- Organização.

59- Este é um ponto crucial. Creio que 3 aspectos:
O primeiro, uma compreensão muito lúcida das motivações e propósitos deste estudo. Quer dizer, com que energia estou alimentando essas pesquisas e o que vou fazer com elas? Por que? Às vezes vejo manifestações da chamada “comunidade ufológica” que soam muito inconsistentes, para não dizer ridículas. Parece mais uma “minoria lutando pelos seus direitos”, como tantos outros grupos sociais que assumem o caráter de “minoria” e uma postura “panfletária”, o que só acaba sedimentando essa imagem de “somos excluídos”. A natureza deste primeiro aspecto é justamente essa: achar um propósito muito objetivo e tangível aos olhos da humanidade (não me refiro aqui ao “sistema”) para que esses estudos ocorram (e claro, ter EXCELÊNCIA na transmissão desta idéia). Acho que falta à “ufologia” cientistas sociais.
O segundo: completamente ligado ao primeiro, está este segundo que enxergo como “deixar a especificidade do estudo se manifestar”. Referir-se à “ufologia” (acho que até esse nome já é tão desgastado e cheio de preconceitos que deveria ser abandonado) como uma “ciência” é uma perda excessiva de energia por dois motivos: o óbvio, porque de fato não é “ciência”, e porque naturalmente você limita a compreensão do fenômeno, é como querer encaixar um quadrado num buraco redondo. Isso vale para os excessivamente abstratos místicos também.
Enfim, deixar de lado toda a nossa pretensa “erudição” para olhar com olhos renovados este assunto. São mesmo intra ou extra-terrestres todos esse fenômenos considerados como “reais”? (“reais” em contraposição aos explicados pela ciência). Acho que falta mais meta-física, literalmente, na abordagem do assunto. O problema é que sempre vejo isso descambar para o misticismo. Falta meta-física no sentido de pensar e investigar sobre o processo do Universo de
maneira mais neutra, sair da nossa bolha de conhecimentos. Para se viver a vida de maneira saudável no seu dia-a-dia já é necessária uma mente fresca e jovial, imagine para querer mergulhar num estudo assim. Percebo nos ufólogos o mesmo problema que afeta o mundo: uma mente embotada, fruto da manipulação obsessiva daquilo que já é conhecido (ou pretensamente conhecido).
Enfim, uma total reciclagem e mutação de modelos mentais, algo que começa muito no interior do “ufólogo”, que começa na forma como ele encara a própria vida. E aqui cabe voltar ao que já disse antes: porque, realmente, se dedicar a isso? Qual o propósito? Por fim, o terceiro aspecto: também completamente interligado e até abordado nos anteriores, que
é fazer isso não com uma postura de “somos uma minoria panfletária querendo derrubar uma conspiração mundial”. Não julgo se exista ou não uma conspiração de acobertamento, o fato é que falar e agir nesse sentido soa completamente caricato, e gera uma descrença enorme. Dizer também que “ovnis são um FATO INCONTESTÁVEL” também é horrível. Pode até ser, podem até existirem documentos fantásticos, mas as pessoas partem da premissa que “SIM, ovnis são EXTREMAMENTE CONTESTÁVEIS”. Assim, os “ufólogos” acabam assumindo a mesmíssima postura dos tais cientistas que
vivem desacreditando esses estudos. Ou seja, a postura do “eu sei e você não”. Acho que uma coisa muito legal seria os “ufólogos” trabalharem, entre eles mesmos e a sociedade, a postura do investigador independente. Estimular as pessoas a pesquisarem aquilo que as intriga, dar dicas de pesquisa, não só no âmbito da “ufologia”, mas de tudo. Contribuir para o desenvolvimento de uma mente crítica, investigativa, questionadora, algo que tanto falta nesse país. Isso é o que existe de mais avançado em educação atualmente. As melhores universidades do mundo têm duas
características: abordagem sistêmica e serem fomentadoras de pesquisadores independentes.
Isso simplesmente é a adequação ao momento em que vivemos, a era do conhecimento. Vivemos num mar incomensurável de conhecimento, fato que acaba gerando cada vez mais conhecimento, é exponencial. Estimulem as pessoas a irem atrás das informações, a fazerem as infinitas conexões no conhecimento que ainda não foram feitas. Acho que criar uma empatia com a sociedade sob esse aspecto é mais proveitoso, em todos os sentidos. E outra, estaríamos já agindo no sentido do que já é chamado de “a próxima era”: a era dos serviços (quer dizer, depois de todo esse conhecimento acumulado, o que fazer com ele).

60- Nós vivemos em um mundo racional e tecnológico, para a sociedade aceitar que esse fenômeno necessita de um estudo sério, é preciso mostrar que a pesquisa é seria e baseada em coisas palpáveis. E depois ir apresentando ângulos mais “diferentes”, caso eles existam. Mas acima de tudo, é necessário que a pesquisa exista sem vaidades, e que priorize a verdade e não a crença pessoal. Enquanto pesquisadores estiverem mais interessados em provar que eles estão certos, do que descobrir a verdade, a pesquisa jamais vai decolar.

61- Da parte de nossos visitantes, a sua manifestação direta e definitiva. Da nossa parte, nos conhecermos melhor para entendermos melhor o universo e suas manifestações (inclusive a dos ETs).

62- Ser reconhecido oficialmente. Ter um setor no Governo que estude esse fenômeno com seriedade.

63- Provas definitivas diante de todas as ciências. Além de uma organização que regule como a Ufologia será estudada no país, tendo como punir farsantes.

64- Um melhor método cientifico.

65- Normatização do setor. É um show do dito pelo não dito, do feito pelo não feito, e assim se compromete um possível rigor científico no setor.

66- Interesse da comunidade científica em ajudar ufólogos e vice-versa. Parar de vez com essa história medíocre que isso não existe!

67- Falta incentivo financeiro.

68- Bom senso, união, objetividade e rigor científico.

69- A apresentação de provas cabais, ou seja, com comprovação para a divulgação via mídia. Mas, antes, deve-se fazer um trabalho de conscientização com a população, a fim de evitar possíveis pânicos coletivos e mitificação exacerbada do assunto, tal como já acontece desenfreadamente.

70- Falta a unificação de todas as forças e acabar um pouco com a rivalidade existente entre linhas de pesquisas. E apoio, seja ele da esfera Governamental como por ONG’s.

71- Uma prova física irrefutável.

72- A unificação de todos os bancos de dados para identificação de comportamento padrão. E principalmente, MAIS CORAGEM dos Governos, militares, religiosos e comunidade científica em reconhecer o fenômeno.

73- Falta, por um lado, maior honestidade e abertura dos governos terrestres para divulgação dos verdadeiros fatos relacionados aos avistamentos, contatos imediatos e, inclusive, contratos firmados com civilizações extraterrestres. Por outro lado, falta um aprofundamento dos estudos científicos humanos, aprofundamento este que inevitavelmente revelará o caráter multidimensional da existência, bem como a ilusão dos conceitos atuais de tempo/espaço, matéria/energia, etc. Além disso, falta um aprimoramento cultural/espiritual da maior parte da humanidade que permita
aceitar com tranqüilidade a existência e convivência com entidades de outros
planetas e dimensões, além da Terra e da terceira biodimensão.

74- Uma prova material incontestável, tal como a captura de uma nave em condições de vôo, ou a apresentação pública de seus tripulantes.

75- Seriedade, competência e claro, investimento em pesquisas sérias.

76- O que falta na Ufologia é informação oficial, os governos não colaboram na sua divulgação, pelo contrário, fazem jogo contra, eles sabem muito…

77- Creio que se aqueles que detêm o poder trouxessem ao público todas as informações menos chocantes para a maioria das pessoas, seria ótimo. Sim, porque se tudo fosse liberado todas as estruturas sociais e religiosas seriam afetadas e abaladas. Mas se houvesse um comprometimento e tais informações fossem divulgadas aos poucos haveria tempo para todos se adaptarem e reverem seus conceitos diante de uma realidade irrefutável.

78- Que a visita deles, de fato se consolide.

79- Humildade, cooperação e compromisso. Compromisso com a verdade, com a humanidade e com a espiritualidade. Nossas criações são o espelho do que somos, se queremos um estudo sério, produtivo e positivo, temos que agir dessa forma.

80- Muita coisa, porque o fenômeno ufológico é extremante complexo. Apresenta aspectos físicos, tridimensionais, extrafísicos, espirituais e aspectos que ainda nós desconhecemos totalmente.
Outra coisa: existem muitos DONOS DA VERDADE UFOLÓGICA….Os ufólogos precisam entender que o CONHECIMENTO não possui DONOS, como a Matemática, a Física, a Química, a Biologia, a Medicina, etc. Cada uma tem um MÉTODO…Entretanto não existem donos da Matemática, Física, Medicina, etc.
Que cada um faça seus estudos, suas pesquisas… MAS AFIRMAR QUE TEM A VERDADE ABSOLUTA…. QUE SÃO OS DONOS DESSE CONHECIMENTO…. DESCULPEM MINHA FRANQUEZA, É UM ABSURDO….mas alguém precisa dizer isso….
Veja os milhares de grupos ufológicos existentes, no Brasil e em todo mundo….cada um trabalhando individualmente, poucos sabem realmente o QUE É UMA PESQUISA, COMO SE REALIZAR UMA PESQUISA SÉRIA. Existem passos, métodos. Pergunto: a Ufologia possui MÉTODO?
Do jeito que a Ufologia se encontra atualmente, NUNCA SERÁ UMA CIÊNCIA, como pretendem alguns ufólogos. Atualmente a Ufologia é TOTALMENTE EMPÍRICA.

81- Mais seriedade da imprensa, pois ela tem o poder de tornar algo real ou destruir o melhor trabalho. Evitar indivíduos sabidamente perturbados ou pilantras, de ter espaço na mídia, pois denigrem o trabalho sério.

82- A partir do momento que as autoridades abrirem seus arquivos e tudo vier ao público, a Ufologia se tornará muito mais forte e atuante.

83- Acho que ela já está consolidada. Faltam duas coisas: O manual do ufólogo do Claudeir Covo e depois o meu Manual de Redação e estilo para o jornalismo ufológico a ser publicado em 2004. 🙂

84- Isto vai acontecer, é questão de tempo. Tudo está certo na hora certa. Cabe-nos apenas “deixar rolar” e estudar.

85- Acho que o estudo sério já está bem consolidado no âmbito privado. O que falta é a parte do Governo, isto é, assumir a possibilidade de existência dos UFOs, as investigações, divulgar arquivos, etc. O Governo é o fator chave.
Outro grande problema é a existência de charlatanismo, apoiado pela imprensa sensacionalista e sedenta por audiência.

86- Principalmente que a batalha de egos que sabemos acontecer desapareça, para que falando uma só língua, a uma só voz, possamos nos fazer entender e a todos os críticos e, desta forma, levarmos uma opinião firme e coesa à mídia e aos meios científicos, para que nossas opiniões e conceitos sejam compreendidos. Daí, poderemos obter consciência e seriedade para o estudo do fenômeno.

87- Uma verdadeira ideologia.

88- União dos “maledetos” ufólogos, vergonha na cara, e concentração mental para se vacinar contra a manipulação telepática superior.

89- O interesse das autoridades ditas oficiais, o que está muito distante.

90- Falta muito pouco. A informação que nos chega é a de que o contato oficial está para ocorrer em um futuro muito breve.

91- Uma maior aceitação por parte do povo da existência destes seres e que o governo não continue escondendo tanta informação, pois todos que pesquisam o fenômeno sabem que tais documentos existem.

92- Definições. Como eu já disse, tem muita coisa no achismo. Apesar de que, se formos analisar a palavra ”ufologia”, saberemos que é estudo de objetos voadores não identificados. Sendo assim, temos nosso ”objeto de estudo”, são os objetos voadores não identificados. Creio que ninguém negue que coisas estranhas voem por aí. Assim sendo, a ufologia é até uma ciência. Que coisa, não? Do incerto à Ciência, mas veja bem. Objetos voadores não identificados, não significam que sejam de fora da Terra. Erro freqüente entre os próprios pesquisadores. Se formos analisar friamente a palavra, depois que identificamos um ovni, o ”trabalho” dos ”ufólogos”,
termina. Mesmo que seja uma nave de fora da Terra, afinal, somos pesquisadores
de objetos voadores não identificados. Mas talvez, deixar um pouco egos de lado já ajudasse bastante.

93- Acredito que o fenômeno já é estudado pelos vários governos, agências militares e de inteligência, só que, SECRETAMENTE. Assim, ao estudioso comum, só restam “as raspas” da informação.

94- Uma efetiva visita dos extraterrestres, tal como apresentada no filme “Contatos Imediatos de 3º Grau”.
Assim como em outras áreas de pesquisa, nada acontece sem uma definição de normas, padrões e métodos. Assim que a ufologia adotar uma postura estritamente científica, a coisa poderá mudar. Nada se consolida com uma argamassa fraca. Para ter consistência, é necessário rigor e disciplina, algo que infelizmente não há no quadro atual da ufologia brasileira.

95- Metodologia, seriedade, respeito ao próximo e punição exemplar aos picaretas…

96- Principalmente uma maior clareza, prudência, bom senso, conhecimento científico transdisciplinar e discernimento por parte de quem pesquisa o fenômeno e abandonar de vez esta “afobação” e crises de emoção que assolam o estudo e que faz com que o assunto seja “forçado” a seus limites. Junte-se a isto que somente tendo o material do estudo em mãos, pode-se ter uma idéia do que falta para tal consolidação. Mas o que falta mesmo me parece ser uma unificação conceitual entre os próprios ufólogos primeiro sobre o que a UFOlogia deve mesmo estudar: objetos voadores não identificados? Seres extraterrestres? Naves espaciais? Se formos ver bem, já existem ciências que estudam todos estes itens. O Fenômeno OVNI é uma incógnita e só se resolve uma incógnita quando se conhecem todos os termos da equação.

97- Maior expansão de consciência dos Ufólogos para considerar todas as variáveis e juntá-las. É preciso não se temer as que não conhecemos e eliminá-las excluindo-as do estudo. Precisamos entender o fenômeno desde um quadro global sem preconceitos.

98- Uma abordagem mais séria por parte da mídia. O que, particularmente, já vem acontecendo aos poucos.

99- Fim do acobertamento militar e civil e disposição dos Governos de diversos países em admitir a existência do fenômeno UFO.

100- A revelação, por parte de nações que têm as provas guardadas, ao público em geral. Ou, se não acontecer isso, a queda de um UFO (ou a descida voluntária de um disco) no centro de uma cidade grande.

101) O que falta? Seriedade e divulgação. O que tem demais? Prepotência e egocentrismo..

102) O que falta: Inteligência, e muita, nos ufólogos.O que tem demais: Arrogância e conversa fiada.

Veja também outras pesquisas em
www.mural_da_ufologia.blogspot.com

Participe de nossas listas de debates na Internet:

Exobiologia_e_Cia – Nesta lista de debates, tratamos de exobiologia (vida fora da Terra) e de todas as ciências que possam ajudar-nos a desvendar os segredos do Universo.
Para inscrever-se, envie um e-mail para:
exobiologia_e_cia-subscribe@yahoogrupos.com.br

Starbrothers – Fundada em 4 de junho de 1998, é o ponto de encontro dos irmãos das estrelas e de todos aqueles que trabalham por uma consciência cósmica e um futuro de paz, amor e fraternidade. Aqui, a essência se manifesta!
Para inscrever-se, envie um e-mail para:
starbrothers-subscribe@yahoogrupos.com.br

Ufolista – Uma das mais antigas e tradicionais listas temáticas de Ufologia do Brasil e aberta a todas as correntes de pensamento. Interrompida por cerca de ano e meio em função de uma fusão de listas que não vingou, retorna para ufófilos e aficcionados do tema Discos Voadores e Extraterrestres, num ambiente de fraternidade e descontração.

Para inscrever-se, envie um e-mail para:
ufolista-subscribe@yahoogrupos.com.br

4 respostas a CONSOLIDANDO O ESTUDO DOS UFOS

  • […] BRASILEIROS – CONSOLIDANDO O ESTUDO DOS UFOS – INCIDENTE EM VARGINHA – O QUE É REAL NA UFOLOGIA […]

  • Jane Souza:

    Gostaria de saber se ainda estão no endereço de sempre, pois, já fui, e, estava fechado. Se não, me passem o novo endereço, por favor! Grata

  • Mary Bastos:

    Difundir para a humanidade, de forma mais abrangente, a grande ligação existente entre a ufologia e os ensinamentos religiosos; traçando paralelos explicativos e consubstanciados em estudos pormenorizados entre ambos, mostrando para as pessoas que as duas coisas não se dissociam e, ao mesmo tempo, tornando claro a
    amplitude do fenômeno.

  • Mary Bastos:

    Difundir para a humanidade a forte ligação existente entre a ufologia e os ensinamentos religiosos; traçando paralelos explicativos e consubstanciados em estudos pormenorizados entre ambos, mostrando para as pessoas que as duas coisas não se dissociam e, ao mesmo tempo, tornando clara a amplitude do fenômeno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *